Pular para o conteúdo principal

Como fazer um plano de aula para crianças de 3 anos?


Luzimara Comunidade do orkut :prazer de ensinar com Luzimara

PROJETO PLANTAS

JUSTIFICATIVA:

No intenso processo de urbanização que passa nossa sociedade, cada vez mais nos afastamos do contato com a Natureza. A infância vivida nos quintais, o gosto das "verduras e legumes, plantado por si próprio”, vivências únicas para quem teve a oportunidade de ser "criança de quintal", têm se transformado em coisa rara, já quase inexistente.
Compreendendo todo o espaço escolar como meio de interação e construção contínua de conhecimento, as aulas de Ciências poderão ocorrer aliando teoria e prática.

QUESTÃO DESENCADEADORA:

A partir da história “João Pé de Feijão” plantamos e cultivamos nosso feijão, e fizemos grandes descobertas com sua geminação. 16 mar Luzimara
CONTEÚDOS NORTEADORES:

Quais são as partes das plantas?
Porque elas têm raízes?
O que elas comem?
Elas tomam água?
Como elas crescem?

OBJETIVOS:

LINGUAGEM ORAL E ESCRITA:
 Pesquisar em livros, , revistas e jornais, formas e cores trabalhadas no projeto;
 Participar de variadas situações de comunicação oral, para interagir e expressar desejos, necessidades e sentimentos por meio da linguagem oral, contando suas vivências;
 Expressar-se;
 Familiarizar-se, aos poucos, com a escrita por meio da participação em situações nas quais ela se faz necessária e do contato no cotidiano com os livros, revistas, histórias em quadrinhos, etc;

MATEMÁTICA:
 Seqüenciar fatos;
 Estabelecer aproximações a algumas noções matemáticas presentes no seu cotidiano, como contagem, relações espaciais, etc;
 Manipular e explorar objetos e brincadeiras, em situações organizadas de forma a existirem quantidades individuais suficientes para que cada criança possa descobrir as características e propriedades principais e suas possibilidades associativas: empilhar, rolar, transvasar, encaixar, etc 16 mar Luzimara
NATUREZA E SOCIEDADE:
 Aprimorar os cinco sentidos através de atividades com materiais concretos e lúdicos;
 Aproximar os acontecimentos da atualidade, do mundo que nos cerca, com a sala de aula,
 Caracterização dos vegetais e preservação do meio ambiente;
 Desenvolver progressivamente hábito de higiene pessoal (escovar os dentes, lavar as mãos, tomar banho e lavar o rosto);
 Explorar o ambiente, para que possa se relacionar com pessoas, estabelecer contato com pequenos animais, com plantas e com objetos diversos, manifestando curiosidade e interesse;
 Contato com pequenos animais e plantas;
 Estabelecer relações entre fenômenos da natureza.

ARTES VISUAIS:
 Observar o limite disponível para os desenhos, pinturas e colagens;
 Fazer uso dos pincéis do tipo grosso, de maneira adequada;
 Manipular sementes para colagens;
 Dramatizar trechos dos contos de fadas;



 Iniciar recortes livres com tesoura;
 Ampliar o reconhecimento de mundo que possuem, manipulando diferentes objetos e materiais, explorando suas características, propriedades e possibilidades de manuseio e entrando em contato com formas diversas de expressão artística;

SÓCIO AFETIVO:
 Criar combinações para o desenvolvimento da rotina; respeitar regras pré-estabelecidas;
 Esperar sua vez de expor idéias e pensamentos;
 Ouvir os que os colegas têm para falar;
 Solucionar de maneira pacífica os conflitos surgidos durante o dia;
 Desenvolver de maneira tranqüila trabalhos em grupo;
 Conhecer regras de sociedade;
 Utilizar linguagem cordial nas diferentes situações; 16 mar Luzimara
MOVIMENTO:

Grandes Movimentos:
 Familiarizar-se com a imagem do próprio corpo;
 Explorar as possibilidades de gestos e ritmos corporais para expressar-se nas brincadeiras e nas demais situações de interação;
 Deslocar-se com destreza progressiva no espaço ao andar, correr, pular, etc..., Desenvolvendo atitude de confiança nas próprias capacidades motoras;
 Locomover-se pela escola com mobilidade;
 Reconhecer as suas próprias capacidades motoras e possibilidades cinéticas.

Pequenos Movimentos:
 Explorar e utilizar os movimentos de preensão, encaixe, lançamento, etc..., para o uso de objetos diversos;
 Modelar livremente com massinhas e argila;
 Aperfeiçoar gestos relacionados com a preensão, o encaixe, o traçado no desenho, o lançamento, etc..., por meio de experimentação e utilização de suas habilidades manuais em diversas situações do cotidiano.

MÚSICA:
 Participar de brincadeiras e jogos cantados e rítmicos;
 Participar


ATIVIDADES PREVISTAS:

 Plantar Feijão;
 Observar o crescimento das plantas;
 Conhecer vegetais;
 Escutar histórias;

Postagens mais visitadas deste blog

Carta de intenção Especialização: MODELOS DE CARTAS DE INTENÇÕES

A carta de intenção deve ser endereçada a coordenação do curso de especialização de interesse do candidato enfatizando os seguintes pontos: 

1) Identificação do candidato: Nome e formação universitária. 
2) Breve introdução sobre conhecimentos relacionados ao curso. 
3) Experiência acadêmica ou profissional na área de abrangência do curso, se houver. 
4) Interesse pessoal do candidato na área. 
5) Possibilidades de aproveitamento do curso em sua atuação profissional. 
6) Expectativas em relação ao curso. 

Obs.: A carta deve ser desenvolvida em no máximo 30 linhas. 

Estas regras eu não acredito que tenham que ser seguidas a risca. Vai do bom senso. 
O candidato deverá elaborar um documento, tendo no máximo duas laudas, escrito em Arial (tamanho 12) e espaço 1,5 entre as linhas >> 
A Carta de Intenção deverá conter as seguintes informações: 
1-Os motivos de ordem profissional e intelectual que o motivaram a candidatar-se, e qual a sua perspectiva com relação ao curso. 
2-Experiência acadêmica…

Planos de Aula: Educação Física de 1ª à 4ª série do ensino fundamental.

Planos de Aula
CONTEXTUALIZAÇÃO Para que se compreenda o momento atual da Educação Física é necessário considerar suas origens no contexto brasileiro, abordando as principais influências que marcaram e caracterizaram esta disciplina e os rumos que se delinearam. No passado a Educação Física esteve estreitamente vinculada às instituições militares e à classe médica. Esses vínculos foram determinantes, tanto no que diz respeito à concepção da disciplina e suas finalidades quanto ao seu campo de atuação e à forma de ser ensinada. Por suas origens militares e por seu atrelamento quase servil aos mecanismos de manutenção vigente na história brasileira, tanto a prática como a reflexão teórica no campo da Educação Física, restringiram os conceitos de corpo e movimento (fundamentos de seu trabalho) aos seus aspectos fisiológicos e técnicos. Atualmente, a análise crítica e a busca de superação dessa concepção apontam a necessidade de que, além daque…

Gêneros Orais e escritos na escola” DOLZ , J. e SCHNEUWLY, B. (resumo)

Gêneros e Progressão em Expressão Oral e Escrita. Elementos para reflexões sobre uma experiência suíça (francófona). In “Gêneros Orais e escritos na escola”DOLZ , J. e SCHNEUWLY, B.
Este livro reúne um conjunto de nove artigos de Schneuwly, Dolz e colaboradores, traduzidos e organizados por Rojo e Cordeiro, cuja análise centra-se no texto como “a base do ensino-aprendizagem de língua portuguesa.” (p.7).
1 - Apresentação: Gêneros Orais e Escritos como objetos de ensino: modo de pensar, modo de fazer. Foi na década de 1980, no Brasil, que estudos e práticas pedagógicas começaram a serem desenvolvidas tendo o texto como fundamento. De lá para cá, o texto, na maioria das vezes, vem sendo tomado como um objeto empírico através do qual se efetivam práticas de leitura, análise lingüística e produção de textos. Inserindo-se no rol de estudiosos do tema que criticam essa abordagem limitada do uso do texto, as organizadoras esclarecem que, a partir do século XXI, novas pesquisadas vêm sendo produz…