sábado, 28 de março de 2009

Educação e tecnologia

Educação e tecnologia
Educação e tecnologia joao carlos maria Este trabalho tem por objetivo, fazer uma leitura dos ensinamentos de Pauo Freire, contidos no livro Pedagogia da Autonomia. E depois desta leitura faremos na medida do possível (pois falar sobre a obra e Paulo Freire não é facíl) uma relação entre estes ensinamentos e as tecnologias na educação. Como proposto, pela professora Juliana Telles Suzuki.
Obrigado por sua visita, volte sempre.

pegue a sua no TemplatesdaLua.com

Pedagogias integrais e outros assuntos.

Pedagogia Waldorf, educação integral e outros assuntos. joao carlos maria Educação integral, educação traspessoal.

Pedagogia Waldorf, educação integral e outros assuntos. Pedagogia Waldorf, educação integral e outros assuntos. joao carlos maria Educação integral, educação traspessoal.


Para ver este artigo em tela cheia, clique no primeiro ícone superior direito. E para baixa-lo clique na palvra more, e em seguida dentro da janela que se abriu, clique em save document.

Obrigado por sua visita, volte sempre.

pegue a sua no TemplatesdaLua.com

segunda-feira, 23 de março de 2009

Dicionário de Sociologia

Dicionário de Sociologia Dicionário de Sociologia joao carlos maria Um projecto em desenvolvimento na: Página não oficial da Escola Secundária Gama Barros A Sociologia explica o que parece óbvio a pessoas que pensam que é simples, mas que não compreendem quão complicado é realmente. RICHARD OSBORNE Poderá regressar escrevendo: http://browser.to/dicsoc

Para ver este dicionário em tela cheia, clique no primeiro ícone superior direito. Se você deseja salvar este documento, clique na palavra more. Em siga na janela aberta clique em save document .

Obrigado por sua visita, volte sempre.

pegue a sua no TemplatesdaLua.com

sábado, 21 de março de 2009

O Ensino da Matemática com Significação nos Anos Iniciais da Educação Básica

O Ensino da Matemática com Significação O Ensino da Matemática com Significação joao carlos maria

Para ver este artigo em tela cheia, clique no primeiro ícone superior direito.

Obrigado por sua visita, volte sempre.

pegue a sua no TemplatesdaLua.com

sexta-feira, 20 de março de 2009

SOBRE O CONCEITO DE CIDADANIA E SEUS REFLEXOS NA ESCOLA


SOBRE O CONCEITO DE CIDADANIA E SEUS REFLEXOS NA ESCOLA

Sobre cidadania o dicionário de língua portuguesa Larousse afirma ser “qualidade de cidadão”, “qualidade de uma pessoa que possui, em uma determinada comunidade, política, o conjunto de direitos civís e políticos”. No entanto, na realidade em que vivemos atualmente, se indagarmos a respeito do tema, certamente encontraremos uma diversidade de opiniões e nenhuma definição que possa contemplar de forma plena o conceito de cidadania. Podemos afirmar que ser cidadão é ter direitos e deveres. Mas de que maneira poderemos definir quais direitos e quais deveres? Portanto, é na determinação destes direitos e deveres que se encontra o “nó” relacionado a esta questão complexa que é a cidadania.

Ouve-se falar de “educação para a cidadania”, de “projetos educativos” voltados para a cidadania, enfim, de sociedades que tenham no cidadão o foco de suas preocupações. Mas apesar da discussão que é bastante ampla o que se pode perceber é que a literatura produzida não nos esclarece este aspecto importante para as sociedades ditas democráticas. Importante na medida em que, para que seja democrática, uma sociedade tem na participação dos seus indivíduos uma característica básica.

De todo modo, alguns autores, conscientes da “confusão” que se estabelece sobre o que seria e como exercer cidadania, tentam dar a este respeito algum esclarecimento. Entre estes autores, Gentili e Alencar afirmam que “a cidadania deve ser pensada como um conjunto de valores e práticas cujo exercício não somente se fundamenta no reconhecimento formal dos direitos e deveres que a constituem na vida cotidiana dos indivíduos”. (Gentili e Alencar, 2001, p. 87). Ou seja, não basta que se defina um conceito formalmente. Mais importante que isso é a prática dessa definição. Cidadania significa, além do reconhecimento dos direitos e deveres dos cidadãos, o cumprimento dos mesmos por parte da sociedade. Por outro lado, tanto o reconhecimento quanto o cumprimento destes direitos e deveres, não devem – como é de senso comum - se restringir à esfera política, isto é, ao direito e ao dever de votar e ser votado. Um outro aspecto importante é que a cidadania tem na igualdade uma condição de existência. Igualdade de direitos, de deveres, de oportunidades. Igualdade, enfim, de participação social e política.

Em meio a essa indefinição os “cidadãos” enfrentam justas dificuldades relativas ao exercício destes direitos e deveres que na realidade muitas vezes desconhecem por completo. Se o indivíduo não tem uma definição do que seja a cidadania, obviamente não poderá exercê-la de forma plena. Ao mesmo tempo, na medida em que se percebe esta indefinição no que se refere ao conceito de cidadania, a democracia tampouco poderá acontecer uma vez que ela se faz na participação dos cidadãos. Ou seja, a cidadania deve ser pensada como condição fundamental para a existência de uma sociedade democrática. Obviamente não se trata da cidadania “do papel”, isto é da teoria, mas da cidadania em termos práticos, a que deve acontecer com a participação de cada membro, cada cidadão consciente de seus direitos, deveres e valor.

A complexidade do mundo globalizado, a amplitude das comunicações, provocam essa indefinição relativamente à cidadania. Se ser cidadão significa, conforme a origem grega, em termos bastante genéricos, ser o habitante da cidade, isso implica no pertencimento a determinado espaço geográfico. Mas o que se pode perceber é que para a globalização não existem barreiras. Ao extrapolar estes limites faz desaparecer as peculiaridades de cada espaço e também dos indivíduos implicados. Serão todos “cidadãos do mundo”, sujeitos indefinidos socialmente. A rapidez das transformações sociais provoca igualmente transformações individuais. Isso exige readaptação, reeducação. É neste ponto que a escola precisa também ser repensada, principalmente os professores, responsáveis diretos por promover essa readaptação exigida pelas transformações tecnológicas. Dessa forma, é necessário que valores e a forma de disseminá-los sejam repensados, inclusive no que se refere à cidadania.

Vídeo feito e apresentado no dia 16 de janeiro de 2007, na aula de Sociologia da Educação da faculdade UERJ!

opensesame40


Obrigado por sua visita, volte sempre.

pegue a sua no TemplatesdaLua.com

quinta-feira, 19 de março de 2009

A Psicopedagogia hospitalar para crianças e adolescentes

A Psicopedagogia hospitalar para crianças e adolescentes A Psicopedagogia hospitalar para crianças e adolescentes joao carlos maria A PSICOPEDAGOGIA HOSPITALAR PARA AS CRIANÇAS E ADOLESCENTES Profa. Sandra Maia CONHECENDO O CAMPO DE ESTUDO E ATUAÇÃO
Para ver este artigo em tela cheia, clique no primeiro ícone superior direito.

Obrigado por sua visita, volte sempre.

pegue a sua no TemplatesdaLua.com

quarta-feira, 18 de março de 2009

Alguns slides sobre tecnologias na educação.

Para ver estes slides em tela cheia, clique no segundo ícone inferior direito.

phgsimon,
Tecnologias , Informações e Comunicações (TICs) na utilização da internet em EAD


adrianassousa
Software Educativo e a Educação Matemática


eliseoreategui,
Aula1 - Mídias e Tecnologias Digitais


mlguima2007,
Possibilidades Do Uso Do VíDeo Na Escola


marilenajardim,
Novos Paradigmas na Educação


leogosousa,
Novas Tecnologias de Informação em auxílio a Educação: Conceitos e Aplicações


drill,
Tecnologias da Informacao e seu Impacto na Sociedade


Obrigado por sua visita, volte sempre.

pegue a sua no TemplatesdaLua.com

terça-feira, 17 de março de 2009

O alfabeto


Língua Portuguesa

Alfabetização inicialPrática pedagógicaEscrita pelo aluno

Edição 220 | 03/2009

Ele não pode faltar

Ferramenta indispensável nas salas de séries iniciais, o alfabeto ajuda as crianças a tirar dúvidas sobre a grafia das letras com autonomia

Rodrigo Ratier (rodrigo.ratier@abril.com.br)

É ASSIM QUE SE FAZ Na EM Atenas, a turma consulta o alfabeto na parede para conferir a grafia correta das letras. Foto: Gilvan Barreto

Pendurado na parede desde o primeiro dia de aula, ele ocupa uma posição central na classe - de preferência, acima do quadro, no campo de visão de todos os alunos. Material de apoio precioso para um ambiente alfabetizador na Educação Infantil e nas séries iniciais do Ensino Fundamental, é a ele que os pequenos recorrem quando querem encontrar uma letra e saber como grafá-la. Se sabem que "gato" se escreve com G, mas esqueceram o jeitão dele, é só caminhar pela sequência de letras até encontrá-lo. Se na hora de escrever "mar" bater a dúvida de quantas perninhas tem o M, a resposta também está lá. O alfabeto da classe é um companheiro permanente para quem ensaia os primeiros passos no universo da escrita.

Conteúdo relacionado

Projeto didático

Não espanta o consenso de que um alfabeto, organizado em cartazes ou painéis de tamanho razoável, deve estar presente em toda - sim, em toda - sala de alfabetização inicial. Afinal, ele é um precioso instrumento de consulta para as situações de escrita, uma das quatro situações didáticas mais importantes nesse processo (as outras três são a leitura pelo professor, a leitura pelo aluno e a produção oral com destino escrito, quando o professor atua como escriba). Se você leciona para pré-escola, 1º ou 2º ano, precisa dominar essas práticas. Uma excelente chance para conhecer esses e outros procedimentos essenciais para o letramento é a edição especial NOVA ESCOLA Alfabetização (leia o quadro "Um raio X da alfabetização").

Para que o alfabeto realmente ajude na compreensão do funcionamento da escrita, é preciso saber usá-lo. Isoladamente, ele não é nada além de uma lista de letras. Apenas mandar a garotada ler a sequência de A a Z não faz ninguém avançar na alfabetização. "Memorizar a ordem das letras é importante, mas esse saber deve ser acionado pelas crianças durante atividades de reflexão sobre a escrita", afirma Clélia Cortez, formadora do Instituto Avisa Lá, em São Paulo.

Responder aos dois principais problemas da alfabetização

Foto: Gilvan Barreto
SABER NECESSÁRIO Agendas telefônicas mostram a importância da ordem alfabética numa situação real. Foto: Gilvan Barreto

Uma oportunidade de fazer isso é trabalhar com a construção de agendas telefônicas (leia o projeto didático). Nessa tarefa, a utilidade da ordem das letras fica clara: ela serve para tornar a busca de nomes mais rápida e precisa. A proposta foi adotada pela professora Janine Caldeira Veiga, da EM Atenas, no Rio de Janeiro. No caso de Janine, a confecção das agendas fez parte de um projeto amplo, que teve o alfabeto como aliado em todas as etapas. "Ele ajudou a turma do 2º ano a conferir a grafia e a pronunciar o nome das letras ou como apoio à memória para saber qual a posição de uma delas na sequência", diz.

De fato, o instrumento é útil durante todo o início da alfabetização, ajudando a responder aos dois principais problemas de quem está entrando no processo. O primeiro - o que, exatamente, a escrita representa? - mobiliza sobretudo as crianças na fase pré-silábica, em que elas ainda não entendem que a escrita é uma representação da fala. Nessa fase, enfatizar a diferença entre desenhar e escrever é fundamental. Você pode usar o alfabeto para apresentar as letras que compõem a escrita, colaborando para distingui-las dos números e de outros símbolos.

O segundo desafio - como se organiza a escrita? - pode ser enfrentado quando alguma palavra apresentar falta de letras. Por exemplo, se um aluno escreve "AO" para representar "pato", provoque uma reflexão e questione:

- Me indique no alfabeto com que letra começa "pato".

- Está ali. É o P, de Paula.

- Isso mesmo. Agora olhe o que você escreveu: "AO". Onde a gente pode colocar o P na sua escrita?

Outra dúvida comum diz respeito à grafia das letras. A forma do G é uma das mais problemáticas. Para desenvolver a autonomia, incentive a criança a procurar a letra pela recitação do alfabeto.

O alfabeto deve ter letras de imprensa, sem decorações

Foto: Gilvan Barreto
PASSOS SEGUINTES Alfabetos mais sofisticados, com letras de imprensa e cursivas, aprimoram a escrita. Foto: Gilvan Barreto

Atenção, porém, antes de produzir o alfabeto da classe. Ainda são muito comuns os modelos que trazem as letras de A a Z decoradas, com figuras cuja inicial é a letra em questão. Assim, o B, por exemplo, vem adornado por uma asa de borboleta, com um contorno que se mistura ao da letra. Não é o ideal, pois a associação com desenhos confunde a criança. "Nessa fase inicial de aprendizado, ela imita a escrita e ainda não consegue determinar com clareza o que é central e o que é periférico, o que realmente faz parte da letra e o que é somente um enfeite. Por isso, qualquer elemento supérfluo acaba sendo reproduzido", argumenta Regina Scarpa, coordenadora pedagógica de NOVA ESCOLA. O melhor é que o alfabeto seja composto de letras de imprensa maiúsculas, de contornos mais limpos e claramente identificáveis quando reunidos em palavras.

Depois que os pequenos já entenderam o que a escrita representa e como ela se organiza, aí, sim, você deve mostrar outros tipos de letra, como a de imprensa minúscula (o que vai ampliar a compreensão de livros, jornais, revistas e outros materiais impressos) e a cursiva maiúscula e minúscula (facilitando o contato com notas e bilhetes manuscritos e produções escolares). Novamente, essa etapa também pode se beneficiar da colaboração de um alfabeto pendurado na parede - dessa vez, um modelo um pouco mais sofisticado, com a letra maiúscula em destaque e os outros quatro tipos correspondentes logo abaixo.

Um raio X da alfabetização

Foto: Reprodução

A edição especial que a equipe de NOVA ESCOLA preparou traz mais de 50 páginas de material inédito sobre a alfabetização inicial. Totalmente voltadas para a prática de sala - são, ao todo, 12 projetos e sequências didáticas -, as reportagens mergulham no passo-a-passo do processo e respondem às principais questões que interessam a todo alfabetizador: como identificar o que as crianças sabem sobre a escrita? Quais as melhores estratégias para ensinar? O que os alunos precisam ter aprendido ao fim de cada série? Como acompanhar o avanço da sala - e como ajudar os pequenos com mais dificuldades? O especial chega às bancas no dia 16 de março.

Quer saber mais?

CONTATOS
Clélia Cortez

EM Atenas, R. Gentil de Ouro, s/nº, 23063-340, Rio de Janeiro, RJ, tel. (21) 2413-3809

BIBLIOGRAFIA
Aprender a Ler e a Escrever, Ana Teberosky e Teresa Colomer, 192 págs., Ed. Artmed, tel. 0800-703-3444, 49 reais
NOVA ESCOLA Alfabetização, edição especial, 4,80 reais, nas bancas a partir de 16 de março
Psicogênese da Língua Escrita, Emilia Ferreiro e Ana Teberosky, 300 págs., Ed. Artmed, 52 reais
Reflexões sobre Alfabetização, Emilia Ferreiro, 104 págs., Ed. Cortez, tel. (11) 3611-9616, 15 reais

Fonte:http://revistaescola.abril.com.br/lingua-portuguesa/alfabetizacao-inicial/ele-nao-pode-faltar-427752.shtml

Obrigado por sua visita, volte sempre.

pegue a sua no TemplatesdaLua.com

segunda-feira, 16 de março de 2009

O telefone celular e a saúde: Como reduzir os riscos biológicos


O telefone celular e a saúde: Como reduzir os riscos biológicos

Roger Santini

Precisamos tomar medidas eficazes de proteção contra os campos eletromagnéticos para:

  • crianças de tenra idade (creches, escolas ...);
  • gestantes;
  • pessoas idosas (asilos ...);
  • doentes imunodeficientes;
  • pessoas hipersensíveis às ondas eletromagnéticas.

Convém lembrar que foram detectados graves efeitos biológicos das hiperfrequências e das freqüências extremamente baixas (ELF). Na exposição contínua da população ou na utilização repetida de um telefone celular, nada escapa do efeito cumulativo dessas ondas eletromagnéticas. Ninguém pode prever os efeitos biológicos que podem resultar.

Proteção frente às torres de telefonia celular

  • Precisamos evitar a instalação de torres de telefonia celular a menos de 300m de áreas em que vivem grupos sensíveis devido a sua idade ou ao seu estado de saúde.
  • Nos locais habitados, a densidade de potência em hiperfreqüências não deve ultrapassar 0,1 mW/cm2 (ou seja, 0,6 V/m).
  • Uma torre de telefonia celular só deve ser instalada após informação da população local e um consenso entre a população, as autoridades e o pessoal de saúde.
  • Após a implantação de uma torre de telefonia celular, é importante que haja um controle regular da poluição eletromagnética do meio ambiente, bem como levantamentos do estado de saúde das pessoas expostas.
  • No meio urbano, as áreas onde a exposição às hiperfreqüências é mais intensa deve haver cartazes e sinais apropriados.
  • Ao tratar as pessoas expostas de modo crônico às ondas eletromagnéticas geradas pelas torres de telefonia celular, o médico precisa estar atento a certos sintomas: síndrome das microondas, fadiga ocular, problemas auditivos, depressão, fracasso de tratamentos médicos, envelhecimento acelerado de certas funções fisiológicas, aceleração de processos tumorais, aparecimento de doenças neurodegenerativas, diminuição da libido...
  • Um acompanhamento médico específico e regular deve ser adotado para os trabalhadores encarregados da manutenção das torres de telefonia celular, principalmente se eles atuarem quando as torres estiverem em operação (o que acontece na maioria dos casos), provocando uma exposição em campo próximo.

Proteção no uso do telefone celular

O usuário de telefone celular deve tomar diversos cuidados como medida de prevenção, devido a sua exposição em campo próximo:

  • usar o telefone celular, de preferência, em condições de boa transmissão dos sinais com as torres para utilizar apenas o mínimo de potência útil;
  • em espaços abertos, certos fenômenos meteorológicos (chuva, neblina, neve...) são desfavoráveis à transmissão das mensagens e requerem uma potência útil mais elevada durante a comunicação;
  • em espaços fechados, convém evitar o uso do celular em subsolos, estacionamentos ou garagens subterrâneas, em virtude das dificuldades de transmissão;
  • é aconselhável encurtar a comunicação telefônica até chegar em uma área com melhores condições para a transmissão;
  • é conveniente não levar o telefone ao ouvido, enquanto a comunicação não tiver sido estabelecida, pois a busca requer uma potência mais elevada. Durante a busca devemos prever um afastamento de 20 a 30 cm;
  • o portador de óculos com hastes de metal deve levar em conta uma absorção mais intensa das hiperfreqüências ao nível do olho mais próximo do celular;
  • não devemos posicionar o telefone celular na frente do rosto para reduzir a penetração das hiperfreqüências;
  • o telefone deve ficar alguns centímetros longe do ouvido durante a comunicação. O uso de um kit “viva voz” constitui uma boa solução para afastar o telefone da cabeça do usuário;
  • o telefone com antena comprida é preferível a um telefone dotado de antena curta;
  • enquanto estiver ligado, o telefone celular continua emitindo hiperfreqüências e somente seu desligamento (exigido em hospitais, a bordo de aviões ...) interrompe efetivamente as transmissões eletromagnéticas;
  • devemos evitar o uso permanente de um telefone celular ligado à cintura, pois as ondas eletromagnéticas que ele continua emitindo penetram o fígado, o estômago, o baço... Os efeitos biológicos dessa exposição em campo próximo são perigosos com o tempo;
  • o proprietário do telefone celular móvel deve ter em mente que a chamada de seu aparelho em um local de grande densidade populacional (metrô, trem ...) pode provocar perturbações eletromagnéticas em um raio de dezenas de centímetros. Estas perturbações podem prejudicar os portadores de um marca-passo. O desligamento do celular é a solução para esse risco potencial;
  • devido a sua grande sensibilidade, precisamos evitar que as crianças usem um telefone celular de modo repetido e regular;
  • o uso do telefone celular deve ser reduzido nos seguintes casos:
    • durante o tratamento com medicamentos oftalmológicos;
    • durante perturbações do eletroencefalograma;
    • durante períodos de depressão, de estresse ou de fadiga;
    • durante doenças graves e em caso de deficiência imunológica;
    • pelos os portadores de marca-passo.

A antena externa de rádio instaladas no automóvel deve estar afastada da cabeça do usuário e, portanto, montada, por exemplo, sobre o porta-malas do carro.

O uso de um telefone celular com antena incorporada, no interior de um carro, pode provocar — em virtude de fenômenos de ressonância com as paredes metálicas — um aumento da exposição do usuário. Convém, nesse caso, evitar longas conversas telefônicas. O volume metálico constituído pelo veículo é comparável à cavidade de um forno de microondas doméstico. Nessa cavidade, as hiperfreqüências são refletidas pelas paredes metálicas do forno, para voltar sobre o “alvo”, que, no caso de um veículo, é a cabeça do usuário.

Um texto explicando o modo correto de usar um telefone celular,
a fim de reduzir a exposição do usuário às radiações não ionizantes,
deveria ser vendido juntamente com o aparelho.

_____
Fonte: Téléphones Cellulaires Danger? Marco Pietteur, Bélgica
Fonte:http://www.taps.org.br/Paginas/MedicinaArt.html

Obrigado por sua visita, volte sempre.

pegue a sua no TemplatesdaLua.com

sábado, 14 de março de 2009

Socióloga analisa situação dos professores temporários



Com as atuais condições de trabalho, o professor temporário é um "dador de aulas" e não um "professor" na opinião da socióloga Marilse Araújo. Integrante da ONG Ação Educativa, a ex-professora da rede estadual paulista, Marilse comenta a prova para os temporários do Estado de SP: "Quando o Estado propõe uma avaliação está instituicionalizando essa figura [do temporário em vez de ter professores concursados]". Saiba mais em UOL Educação http://educacao.uol.com.br

Obrigado por sua visita, volte sempre.

pegue a sua no TemplatesdaLua.com

"Os erros que impedem de fazer seu PC funcionar corretamente estão com os dias contados!"


Apresentado por seus desenvolvedores como o “melhor reparador de registros do mercado”, ErrorFix é um programa que congrega diversas ferramentas para reparar erros e otimizar o funcionamento de seu computador.

Divididos em diversos grupos, as inúmeras ferramentas presentes neste software lhe darão uma enorme capacidade de encontrar e corrigir alguns pequenos danos em sua máquina, mas que influenciam diretamente no bom aproveitamento de seu PC.

Vários programas em um só

Através das abas presentes à esquerda da tela você poderá navegar pelas funcionalidades do programa e utilizar aquelas que lhe forem convenientes. Basta clicar sobre qualquer uma delas para que sejam expandidas e então suas opções possam ser visualizadas.

Ao todo são 17 funções diferentes, como se houvessem dentro de um único software 17 programas diferentes. Eles estão separados da seguinte forma: Scan & Clean, Backups, Optimize PC, Prog. Manager, IE Tools e Microsoft Updates. Todas as ferramentas funcionam automaticamente e as configurações que você deverá realizar são mínimas.

Saiba como anda a saúde do seu computador

Scan & Clean

A primeira seção do programa é responsável por buscar por erros e sujeira em seu sistema e então corrigir e limpar tudo para que seu PC funcione corretamente. Nesta aba você contará com três ferramentas: “Registry Cleaner” (Limpador de Registro), “Evidence Cleaner” (Limpador de Evidência) e “Junk Cleaner” (Limpador de Sujeira).

As três ferramentas são varredores que vasculham os confins de seu computador para encontrar por falhas no registro, evidências de programas utilizados e arquivos abertos e também por arquivos inúteis que só ocupam espaço em seu PC, sem nenhuma grande serventia.

Backups

Realizar cópias de segurança é sempre algo extremamente importante para manter a integridade e a funcionalidade de seu sistema. No ErrorFix você tem uma ferramenta que lhe auxiliará a criar um backup do Registro do Windows (chamada de “Registry Backup”), algo também essencial e que poderá ser restaurado a um ponto anterior a qualquer alteração danosa feita em sua máquina.

Alguns erros só são corrigidos na versão completa do programaAlém disso, esta seção possui uma segunda ferramenta de nome “Restore Point” que irá criar um ponto de restauração em seu sistema. Isto pode ser de grande utilidade, principalmente antes de instalar ou utilizar um programa que poderá causar alguma alteração no funcionamento do seu sistema. Depois, caso necessário, execute o ponto de restauração e seu PC voltará a ser como era antes da instalação.

Optimize PC

Esta é a seção com o maior número de ferramentas do ErrorFix. Aqui existem 7 recursos diferentes para que você otimize o funcionamento de seu computador. Aqui você encontra recursos não tão comuns em outros aplicativos do gênero, como por exemplo o Re-Register ActiveX que serve para registrar novamente seus arquivos DLL e objetos ActiveX.

Outros “programas” presentes nesta seção são o “PC Optimizer”, “Block Bad ActiveX”, “Error Repair”, “Tweak Memory”, “Smart Disk Defrag” e “Optimize Internet”. Com eles você poderá melhorar o desempenho do computador, bloquear objetos ActiveX, corrigir erros, otimizar a utilização da memória RAM, desfragmentar o disco e otimizar o desempenho de sua internet.

Prog. Manager

Na aba “Prog. Manager” você encontrará duas ferramentas para gerenciamento de programas: “Startup Manager” para gerenciar os programas que devem ou não ser iniciados juntamente com o Windows e também “Uninstall Manager”, um auxiliar para desinstalar softwares de seu computador.

IE Tools

A quinta aba, chamada de IE Tools, possui ferramentas direcionadas ao navegador Internet Explorer. Estão presentes aqui dois recursos, o “BHO Manager”, que serve acelerar o navegador removendo dele plugins indesejáveis; e também o IE Restore, para que você tente resolver alguns problemas do IE restaurando suas configurações originais.

Microsoft Updates

A última ferramenta presente no ErrorFix é o Microsoft Uptade. Este recurso tem a função única de encontrar atualizações oficiais da Microsoft para o seu computador. Depois de encontrá-las, você pode selecionar quais deseja realizar e seguir adiante. Além disso, você conta com informações sobre cada um dentro do próprio programa.

baixar ErrorFix
  • Observações
  • Sistema operacional Windows XP/Vista/98/2000/2003
  • Antes de instalar o ErrorFix você pode criar um ponto de restauração do Windows, assim, se não gostar do programa ou se ele não funcionar corretamente, você pode simplesmente restaurar o sistema para um ponto anterior à instalação do programa.Clique aqui e aprenda a criar um ponto de restauração.

Fonte:http://www.baixaki.com.br/download/errorfix.htm

Obrigado por sua visita, volte sempre.

pegue a sua no TemplatesdaLua.com

Cartilha Caminho Suave

Muitas pessoas com minha idade, em torno dos 40 , foram alfabetizadas com esta cartilha. Ela foi utilizada durante muitos anos. Para ver este livro em tela cheia clique, no primeiro ícone superior direito.
Se o seu deisejo é slavar este livro em seu computador ou cd, ou pen-drive, clique na seta ao lado da palavra more. Na janela em que abrir escolha a opição salvar.


Cartilha Caminho Suave[1]

Obrigado por sua visita, volte sempre.

pegue a sua no TemplatesdaLua.com

Pragmatismo e Utilitarismo