Pular para o conteúdo principal

CAIXA DE PANDORA: EXERCÍCIOS DE FILOSOFIA COM CRIANÇAS E JOVENS


CAIXA DE PANDORA

CAIXA DE PANDORA: EXERCÍCIOS DE FILOSOFIA COM CRIANÇAS E JOVENS
CAIXA DE PANDORA é uma caixa que transporto comigo (física ou mentalmente) para as sessões de Filosofia com Crianças e Jovens . Esta caixa tem dentro de si problemas muito difíceis que os filósofos há muitos anos tentam resolver. 
A ideia que quero transmitir aos meus alunos ao falar-lhes deste mito é de que encontrar um problema filosófico é como abrir uma CAIXA DE PANDORA, muitos outros problemas vêm atrás e devemos tentar resolvê-los da melhor maneira que soubermos.
A versão do mito de Pandora que  conto aos meus alunos é a seguinte: Pandora foi enviada pelos deuses para junto dos Homens com uma caixa onde estavam todos os problemas. Disseram-lhe que não devia em circunstância alguma abrir a caixa pois se o fizesse todos os problemas sairiam e os Homens teriam de lidar com eles para sempre. Certo dia não aguentou mais de curiosidade, abriu a caixa e todos os problemas saíram cá para fora. Os deuses sabiam que Pandora ia abrir a caixa pois a sua curiosidade era mais forte que ela e foi por isso que a enviaram. No fundo da caixa apenas ficou a Esperança que não conseguiu sair a tempo.
Dentro da CAIXA DE PANDORA estão problemas muito variados. Problemas com o Bom e com o Belo, com o Tempo e com o Universo, com Coisas e com Seres Humanos , com a Lógica e com a Linguagem, com a Verdade e com o Conhecimento, etc. No início da sessão apresento aos alunos a CAIXA DE PANDORA, que tanto pode ser uma caixa real como a ideia de uma caixa (qual é a diferença?) e de dentro dela tiro um problema. Por vezes também os deixo escolher o problema que querem discutir. Outra vezes, quando não quero condicionar os alunos anunciando o tema no início da sessão convido-os no final a classificarem o problema discutido (Liberdade, Justiça, Tempo, Coragem, Beleza, etc.).
Com esta pequena brincadeira de catalogação dos problemas filosóficos os nossos FILÓSOFOS A BRINCAR começam, sem o saberem, a distinguir as diversas disciplinas e a identificar os problemas que compõem o universo da Filosofia.
Os problemas que saem da CAIXA DE PANDORA são enormes e de muito difícil resolução. Alguns desses problemas andam por aí há mais de 2500 anos sem que ainda ninguém tenha encontrado uma resposta definitiva. Mas, mesmo assim, os filósofos insistem em continuar a tentar resolvê-los, como aqueles alpinistas que decidem escalar montanhas que muita gente diz serem impossíveis de subir, munidos das melhores ferramentas que possuem (cordas, arnêses, roldanas, etc.) e com Esperança de um dia conseguirem alcançar o cume.
É por isso que dentro da CAIXA DE PANDORAtemos algo que nos dá Esperança de um dia sermos capazes de resolver os nossos problemas que muita gente diz serem impossíveis de resolver: Ferramentas para Pensar e Dialogar.
- Os Problemas
1 – Problemas com Valores – Bonito e Feio;O que é a Beleza?O que pode ser isto?A Cápsula
3 – Problemas com a  Lógica (em construção)
4 – Problemas com a  Metafísica 4.1 – Problemas com a Liberdade – A Caixa da Liberdade; O Prisioneiro VoluntárioO Prisioneiro Voluntário (vídeo); Somos Livres?; A Caixa das Escolhas 4.2 – Problemas com a Vida – A Caixa da VidaA Caixa da Vida, 4-5 anos (sessão comentada)A Morte é uma Certeza?; O Mito de Sísifo 4.3 – Problemas com as Coisas – O objecto misteriosoAs sementes do diálogoA Cadeira;  O que pode ser isto?;What´s this? (vídeo de workshop em inglês)Coisas que Mudam/Coisas que não Mudam; O Rio de Heraclito; Para que servem as coisas? O Barco de Teseu; Três BananasA Caixa das Coisas Reais;  Para que isto pode servir?  A Caixa das Coisas Impossíveis 4.4 – Problemas com o Eu e o Outro – Eu Existo?; Os Homens são Máquinas; Somos a mesma Pessoa a vida toda?O Barco de Teseu (vídeo) 4.5 – Problemas com o Tempo; Um segundo antes do Tempo; O tempo a andar para trás?; O Tempo é agora? 4.6 – Problemas com o Universo – O que havia antes do UniversoQual a pergunta mais fundamental?
5 – Problemas com o  Bem e o Mal –  Sempre Bom e Sempre Mau; Influenciar; Viver sem regras; O Homem é o lobo do Homem I, O homem é o lobo do homem II
6 – Problemas com o Pensar e o Conhecer - Sabemos ¿; Fazer perguntas; Saber e Acreditar; Problematizar (o Conhecimento); O óbvio; Ir com a correntePensarO olho da imaginaçãoPensar o Impensável (vídeo);
- As Ferramentas para os resolver

http://filosofiacritica.wordpress.com/caixa-de-pandora/

Obrigado pela visita, volte sempre.
  pegue a sua no TemplatesdaLua.com

Postagens mais visitadas deste blog

Carta de intenção Especialização: MODELOS DE CARTAS DE INTENÇÕES

A carta de intenção deve ser endereçada a coordenação do curso de especialização de interesse do candidato enfatizando os seguintes pontos: 

1) Identificação do candidato: Nome e formação universitária. 
2) Breve introdução sobre conhecimentos relacionados ao curso. 
3) Experiência acadêmica ou profissional na área de abrangência do curso, se houver. 
4) Interesse pessoal do candidato na área. 
5) Possibilidades de aproveitamento do curso em sua atuação profissional. 
6) Expectativas em relação ao curso. 

Obs.: A carta deve ser desenvolvida em no máximo 30 linhas. 

Estas regras eu não acredito que tenham que ser seguidas a risca. Vai do bom senso. 
O candidato deverá elaborar um documento, tendo no máximo duas laudas, escrito em Arial (tamanho 12) e espaço 1,5 entre as linhas >> 
A Carta de Intenção deverá conter as seguintes informações: 
1-Os motivos de ordem profissional e intelectual que o motivaram a candidatar-se, e qual a sua perspectiva com relação ao curso. 
2-Experiência acadêmica…

Planos de Aula: Educação Física de 1ª à 4ª série do ensino fundamental.

Planos de Aula
CONTEXTUALIZAÇÃO Para que se compreenda o momento atual da Educação Física é necessário considerar suas origens no contexto brasileiro, abordando as principais influências que marcaram e caracterizaram esta disciplina e os rumos que se delinearam. No passado a Educação Física esteve estreitamente vinculada às instituições militares e à classe médica. Esses vínculos foram determinantes, tanto no que diz respeito à concepção da disciplina e suas finalidades quanto ao seu campo de atuação e à forma de ser ensinada. Por suas origens militares e por seu atrelamento quase servil aos mecanismos de manutenção vigente na história brasileira, tanto a prática como a reflexão teórica no campo da Educação Física, restringiram os conceitos de corpo e movimento (fundamentos de seu trabalho) aos seus aspectos fisiológicos e técnicos. Atualmente, a análise crítica e a busca de superação dessa concepção apontam a necessidade de que, além daque…

Gêneros Orais e escritos na escola” DOLZ , J. e SCHNEUWLY, B. (resumo)

Gêneros e Progressão em Expressão Oral e Escrita. Elementos para reflexões sobre uma experiência suíça (francófona). In “Gêneros Orais e escritos na escola”DOLZ , J. e SCHNEUWLY, B.
Este livro reúne um conjunto de nove artigos de Schneuwly, Dolz e colaboradores, traduzidos e organizados por Rojo e Cordeiro, cuja análise centra-se no texto como “a base do ensino-aprendizagem de língua portuguesa.” (p.7).
1 - Apresentação: Gêneros Orais e Escritos como objetos de ensino: modo de pensar, modo de fazer. Foi na década de 1980, no Brasil, que estudos e práticas pedagógicas começaram a serem desenvolvidas tendo o texto como fundamento. De lá para cá, o texto, na maioria das vezes, vem sendo tomado como um objeto empírico através do qual se efetivam práticas de leitura, análise lingüística e produção de textos. Inserindo-se no rol de estudiosos do tema que criticam essa abordagem limitada do uso do texto, as organizadoras esclarecem que, a partir do século XXI, novas pesquisadas vêm sendo produz…