Pular para o conteúdo principal

Chupeta faz mal para os bebês, como usar e até quando?


Autor: Doutora Carmem
Flexibilidade é um tema  importante, para quem não deseja viver contrariado. Pois contrariados vivem os pais que decidem não dar a chupeta para seus bebês, e não conseguem.
Começa aí o desafio: alguns bebês têm mesmo uma necessidade de sugar maior que outros, para desespero de muitos pais.
Venho por meio deste artigo, dizer que não vou endemonizar a tal chupeta. Mas é claro, que algumas informações e cuidados  são necessários, caso você opte ou seja forçado a oferecê-la.

Cuidados no uso da Chupeta

•Em primeiro lugar: O aleitamento materno evita infecções e alergias e fortalece o vínculo mãe-filho. (Redação dada pela Lei nº 11.474, de 2007), e a chupeta pode diminuir o interesse do bebê pela amamentação.
•Não se desespere caso seu bebê for daqueles que realmente não conseguem satisfazer a necessidade de sucção com o seio ou mamadeira;
• Uma vez decidido que vão dar a chupeta, saiba que o hábito terá um prazo: não há chupetas para crianças maiores que três anos no mercado; portanto programe-se para a remoção da chupeta em torno dos dois anos de idade, para não prejudicar as arcadas;
• Se for o caso de oferecer a chupeta, compre as de silicone, bico ortodôntico no tamanho apropriado à idade;
• Não deixe a mesma pendurada por meio de prendedores na roupa da criança durante o dia.
•  Ofereça apenas antes de dormir;
• Para fazer com que o bebê se desinteresse, ou seja, que fique satisfeito quanto à sua necessidade de sucção, proceda assim:  quando a criança estiver adormecida, faça o toque da chupeta nos lábios estimulando a sucção e depois   remova a mesma por umas dez vezes. Assim o bebê estará “exercitando” sua musculatura perioral, e não mantendo a “malvada chupeta” durante todo o período do sono;
•  Todos os pais querem saber o quanto a chupeta poderá afetar a boa oclusão dos dentes. Tanto a sucção de dedo como o uso de chupeta, terão efeitos diferentes sobre a oclusão, dependendo:
- do tipo facial, do tônus muscular e de uma série de hábitos, como por exemplo, da dieta, mais pastosa ou sólida que for oferecida para essa criança;
- das características respiratórias e saúde geral dessa criança: respiradores bucais, alérgicos e crianças com baixa resistência terão mais propensão  a alterações nas arcadas, que serão potencializadas pelo uso da chupeta;
• Lembre-se sempre: alimentação consistente, variada, de preferência com integrais e orgânicos sempre poderão minimizar os transtornos provocados pela chupeta.

Como tirar o hábito da Chupeta

• A remoção do hábito exige planejamento: conte com a ajuda de um elemento de transição, que pode ser um bichinho de tecido ou pelúcia que poderá transmitir o que a chupeta propiciava: aconchego companhia e segurança;
• Tocar o bebê através da massagem, com o uso do Óleo de Calêndula da Weleda, sempre é importante, para transmitir essa tranqüilidade que o bebê precisa;
• Aromatizar o quarto do bebê também tem efeito tranqüilizante, trás conforto e prazer; (ver link samya)
• Conversar com a criança, fazendo com que compreenda a necessidade de remoção do hábito, geralmente  gera a cooperação. Muitas vezes a criança está empenhada em ajudar, mas não consegue. Medicamentos Homeopáticos ou Antroposóficos nos casos mais resistentes poderão ser de grande ajuda;
• Combinar trocas, em festas especiais como aniversário, Páscoa ou Natal é valido somente se a criança já estiver preparada, do contrário, trará a sensação de frustração para todos;
• Lembre-se de que não dá para fazer tudo de uma só vez: tirar mamadeira, fraldas e chupeta;
• O momento da retirada do hábito da sucção da chupeta não pode ser um momento de tensão familiar, por motivo de doença, desentendimento entre os pais, mudança de escola, de casa ou nascimento de um irmãozinho. Programe-se com antecedência se planeja alguma dessas coisas;
• A presença principalmente damãe, através da calorosidade provinda de cantigas fazem bem a todos, inclusive para a mamãe;
E finalmente, leia o artigo http://desmameconsciente.com.br/epoca-do-desmame  em que os Doze Sentidos são descritos, para ajudar o desmame. Observar todas as possibilidades de criar um ambiente amoroso, terá um efeito transformador em toda a família.

Veja também este vídeo da Dra. Carmem sobre a Chupeta (Chupeta faz mal para as Crianças? (Como e até quando usar a Chupeta?)




fonte: http://www.clinicaamai.com.br/chupeta-faz-mal-para-os-bebes-como-usar-ate-quando



Obrigado pela visita, volte sempre.

Postagens mais visitadas deste blog

Carta de intenção Especialização: MODELOS DE CARTAS DE INTENÇÕES

A carta de intenção deve ser endereçada a coordenação do curso de especialização de interesse do candidato enfatizando os seguintes pontos: 

1) Identificação do candidato: Nome e formação universitária. 
2) Breve introdução sobre conhecimentos relacionados ao curso. 
3) Experiência acadêmica ou profissional na área de abrangência do curso, se houver. 
4) Interesse pessoal do candidato na área. 
5) Possibilidades de aproveitamento do curso em sua atuação profissional. 
6) Expectativas em relação ao curso. 

Obs.: A carta deve ser desenvolvida em no máximo 30 linhas. 

Estas regras eu não acredito que tenham que ser seguidas a risca. Vai do bom senso. 
O candidato deverá elaborar um documento, tendo no máximo duas laudas, escrito em Arial (tamanho 12) e espaço 1,5 entre as linhas >> 
A Carta de Intenção deverá conter as seguintes informações: 
1-Os motivos de ordem profissional e intelectual que o motivaram a candidatar-se, e qual a sua perspectiva com relação ao curso. 
2-Experiência acadêmica…

Planos de Aula: Educação Física de 1ª à 4ª série do ensino fundamental.

Planos de Aula
CONTEXTUALIZAÇÃO Para que se compreenda o momento atual da Educação Física é necessário considerar suas origens no contexto brasileiro, abordando as principais influências que marcaram e caracterizaram esta disciplina e os rumos que se delinearam. No passado a Educação Física esteve estreitamente vinculada às instituições militares e à classe médica. Esses vínculos foram determinantes, tanto no que diz respeito à concepção da disciplina e suas finalidades quanto ao seu campo de atuação e à forma de ser ensinada. Por suas origens militares e por seu atrelamento quase servil aos mecanismos de manutenção vigente na história brasileira, tanto a prática como a reflexão teórica no campo da Educação Física, restringiram os conceitos de corpo e movimento (fundamentos de seu trabalho) aos seus aspectos fisiológicos e técnicos. Atualmente, a análise crítica e a busca de superação dessa concepção apontam a necessidade de que, além daque…

Gêneros Orais e escritos na escola” DOLZ , J. e SCHNEUWLY, B. (resumo)

Gêneros e Progressão em Expressão Oral e Escrita. Elementos para reflexões sobre uma experiência suíça (francófona). In “Gêneros Orais e escritos na escola”DOLZ , J. e SCHNEUWLY, B.
Este livro reúne um conjunto de nove artigos de Schneuwly, Dolz e colaboradores, traduzidos e organizados por Rojo e Cordeiro, cuja análise centra-se no texto como “a base do ensino-aprendizagem de língua portuguesa.” (p.7).
1 - Apresentação: Gêneros Orais e Escritos como objetos de ensino: modo de pensar, modo de fazer. Foi na década de 1980, no Brasil, que estudos e práticas pedagógicas começaram a serem desenvolvidas tendo o texto como fundamento. De lá para cá, o texto, na maioria das vezes, vem sendo tomado como um objeto empírico através do qual se efetivam práticas de leitura, análise lingüística e produção de textos. Inserindo-se no rol de estudiosos do tema que criticam essa abordagem limitada do uso do texto, as organizadoras esclarecem que, a partir do século XXI, novas pesquisadas vêm sendo produz…