Pular para o conteúdo principal

Cláudio Araújo Fotógrafo. Campinas e região.




Filho de pai fotógrafo e avô músico, aos 8 anos de idade ganhou sua primeira máquina fotográfica. Em 1998 graduou-se em Música e em 2002 tornou mestre em Computação (2002), ambos pela Unicamp, em 2009 passou a dedicar-se profissionalmente à fotografia, pois mesmo transitando profundamente em outras áreas, a fotografia sempre esteve presente em sua vida. A paixão pela música e pela fotografia o levou a interessar-se pelo registro de palcos: shows, dança e teatro, e a paixão pela beleza o levou a se dedicar a fotografia fashion, mas também atua em fotografia social, books, paisagens e objetos. Estudou com os fotógrafos Afonso Lima e Humberto de Castro, além de workshops com Tito Neves, Dorival Zucatto, Jaime Jr, Gal Oppido e Clício Barroso. Tem fotografado regularmente para academias de ballet e dança do ventre de Campinas e região, entre elas: Ballet Carolina Foresti – Campinas SP; Casa da Dança Oriental-Árabe com Crys Franchi – Campinas SP; Espaço Cultural de Vinhedo – Vinhedo SP; Espaço Cultural Villa D’Art – Campinas SP; Luz do Nilo com Érika Bérgamo – Valinhos SP; Cia de Dança do Ventre Lia Mazz – Campinas SP; Studio Mix Guaru – Valinhos SP; Espaço da Dança Lis Coradi – Jaguariúna SP. Também já fez trabalhos para empresas como WR Modelos, Focco Confecção; Loka Bike, Hunter Consulting Group, Shopping Iguatemi São Paulo, NonoBier e SPE (EUA), e de dezenas de books de modelos profissionais e pessoas comuns. Além de fotografar, também leciona fotografia no 101 Studio, em Campinas SP.

Campinas (SP)
(19) 9122-3564
(19) 8804-0198
contato@101studio.com.br

 http://www.101studio.com.br/curso.html

Obrigado pela visita, volte sempre.

Postagens mais visitadas deste blog

Carta de intenção Especialização: MODELOS DE CARTAS DE INTENÇÕES

A carta de intenção deve ser endereçada a coordenação do curso de especialização de interesse do candidato enfatizando os seguintes pontos: 

1) Identificação do candidato: Nome e formação universitária. 
2) Breve introdução sobre conhecimentos relacionados ao curso. 
3) Experiência acadêmica ou profissional na área de abrangência do curso, se houver. 
4) Interesse pessoal do candidato na área. 
5) Possibilidades de aproveitamento do curso em sua atuação profissional. 
6) Expectativas em relação ao curso. 

Obs.: A carta deve ser desenvolvida em no máximo 30 linhas. 

Estas regras eu não acredito que tenham que ser seguidas a risca. Vai do bom senso. 
O candidato deverá elaborar um documento, tendo no máximo duas laudas, escrito em Arial (tamanho 12) e espaço 1,5 entre as linhas >> 
A Carta de Intenção deverá conter as seguintes informações: 
1-Os motivos de ordem profissional e intelectual que o motivaram a candidatar-se, e qual a sua perspectiva com relação ao curso. 
2-Experiência acadêmica…

Planos de Aula: Educação Física de 1ª à 4ª série do ensino fundamental.

Planos de Aula
CONTEXTUALIZAÇÃO Para que se compreenda o momento atual da Educação Física é necessário considerar suas origens no contexto brasileiro, abordando as principais influências que marcaram e caracterizaram esta disciplina e os rumos que se delinearam. No passado a Educação Física esteve estreitamente vinculada às instituições militares e à classe médica. Esses vínculos foram determinantes, tanto no que diz respeito à concepção da disciplina e suas finalidades quanto ao seu campo de atuação e à forma de ser ensinada. Por suas origens militares e por seu atrelamento quase servil aos mecanismos de manutenção vigente na história brasileira, tanto a prática como a reflexão teórica no campo da Educação Física, restringiram os conceitos de corpo e movimento (fundamentos de seu trabalho) aos seus aspectos fisiológicos e técnicos. Atualmente, a análise crítica e a busca de superação dessa concepção apontam a necessidade de que, além daque…

Gêneros Orais e escritos na escola” DOLZ , J. e SCHNEUWLY, B. (resumo)

Gêneros e Progressão em Expressão Oral e Escrita. Elementos para reflexões sobre uma experiência suíça (francófona). In “Gêneros Orais e escritos na escola”DOLZ , J. e SCHNEUWLY, B.
Este livro reúne um conjunto de nove artigos de Schneuwly, Dolz e colaboradores, traduzidos e organizados por Rojo e Cordeiro, cuja análise centra-se no texto como “a base do ensino-aprendizagem de língua portuguesa.” (p.7).
1 - Apresentação: Gêneros Orais e Escritos como objetos de ensino: modo de pensar, modo de fazer. Foi na década de 1980, no Brasil, que estudos e práticas pedagógicas começaram a serem desenvolvidas tendo o texto como fundamento. De lá para cá, o texto, na maioria das vezes, vem sendo tomado como um objeto empírico através do qual se efetivam práticas de leitura, análise lingüística e produção de textos. Inserindo-se no rol de estudiosos do tema que criticam essa abordagem limitada do uso do texto, as organizadoras esclarecem que, a partir do século XXI, novas pesquisadas vêm sendo produz…