Pular para o conteúdo principal

Resenha: Adeus professor, Adeus professora? Novas exigências educacionais e profissão docente/ José Carlos Libâneo




Resenha: Adeus professor, Adeus professora? Novas exigências educacionais e profissão docente/ José Carlos Libâneo

LIBÂNEO, José Carlos. Adeus professor, Adeus professora? Novas exigências educacionais e profissão docente/ José Carlos Libâneo-10. Ed - São Paulo, Cortez, 2007. (Coleção Questões da Nossa Época; v. 67



Carliane Mendes Dias
Cláudia Pinheiros
Fernanda Daysy. F. de Sousa
Francineide Alves de Sousa
Marciana Jacinta de Andrade
Tarcio Tomaz da Silva
Universidade Federal de Campina Grande-UFCG

José Carlos Libâneo publicou no ano de 2007 o livro Adeus professor, adeus professora? Novas exigências educacionais e profissão docente da Coleção Questões da Nossa Época, na qual o mesmo abre uma discussão sobre as novas exigências da contemporaneidade sobre o ser professor, isto é, as cobranças que a sociedade informacional faz na formação de um sujeito autônomo e critico. O autor destaca a importância da escola e dos professores diante das intensas transformações científicas e tecnológicas que vêm ocorrendo no mundo atual, segundo ele é nesse contexto que a figura do professor se torna ainda mais necessária, pois o mesmo deve contribuir para uma formação ampla do indivíduo, tornando-o sujeito pensante e capaz participar criticamente das decisões sociais.
José Carlos Libâneo nasceu em 1945 em Angatuba no Estado de São Paulo.Professor da Universidade Católica de Góis e professor aposentado da UFG*. Formação acadêmica em Filosofia, especialização em Educação Escolar Brasileira, mestrado em Filosofia da Educação e doutorado em Filosofia e História da Educação. Publicou seis livros: Aceleração Escolar- Estudo sobre educação de adolescentes e adultos (1976), Democratização da escola pública- A pedagogia crítico social dos conteúdos (Editora Loyola17° edição), Didática (20° edição), Adeus professor, adeus professora?- Novas exigências educacionais e profissão docente (4° edição) e pedagogia e pedagogos, para quê? (3° edição), os três últimos pela editora Cortez. O seu livro mais recente tem o titulo de Organização e Gestão da escola (editora Alternativa- Goiânia). Escreveu ainda 10 capítulos em livros em co-autoria e diversos artigos em revistas especializadas
Por efeito de tantas transformações tecnico-cientificas, a sociedade informacional passa a cobrar das instituições de ensino políticas pedagógicas condizentes com a realidade da sociedade, para tanto o ser professor não esta mais atrelada apenas ao ensino de ler e escrever, mas vinculada as influencias das mídias e multimídias para a vida do homem em sociedade. Sendo assim o autor dividi seu livro em três capítulos.
Na primeira unidade o escritor Libâneo, expõe diversas questões sobre o papel do professor diante das multimídias e a dificuldade da escola em melhorar a qualidade do ensino exigida por conta das transformações políticas, econômicas, sociais, culturais e tecnológicas. Por conta do mundo globalizado o novo paradigma produtivo exige pessoas preparadas para atuar no mercado de trabalho. É função de a escola atender as exigências do sistema produtivo, preparar o aluno no uso nas capacidades cognitivas e na formação ética em que possam exercer a cidadania critica.                                                                                                                                                  
       Ainda no primeiro capitulo Libâneo argumenta sobre a formação docente no domínio das tecnologias informação. Segundo o escritor os educadores precisam se alfabetizar em termos científicos e tecnológicos. O professor tem que ensinar o aluno a pensar, ensinar a aprender a aprender, isto é, dar autonomia aos alunos para produzir novos conhecimentos, além de atuar na integração das diversidades culturais.                                                                                                                                                                    
                 Portanto para finalizar a primeira seção o escritor José Carlos Libâneo, relata que é preciso o professor mudar a postura diante das maquinas de informações e incorporar os assuntos escolares com os assuntos reais do cotidiano para que o aluno possa discutir os problemas sociais. Logo para se ter um ensino de qualidade a escola deve atender as exigências do mundo contemporâneo.     
No segundo, capitulo ele vai continuar falando das tecnologias no meio educacional, só que de uma forma mais detalhada, colocando em questão a importância da relação entre escola, docente e tecnologia na aprendizagem.
No começo do texto ele fala da relação que sempre teve entre educação e a comunicação, ou seja, para Libâneo a educação e a comunicação sempre andaram juntas. Assim não pode negar a importância das mídias e multimídias para a sociedade, pois hoje são elas as maiores formadoras de opiniões, diante disso fica clara a necessidade do docente em conhecer e saber utilizar as novas tecnologias para ajudar os seus alunos a utilizar esses novos métodos no seu processo de formação.
Assim, Libâneo nesta unidade vai defender a necessidade dos educadores de si apropriarem-se da tecnologia da comunicação para intervir no processo comunicacional que ocorrer entre professores e alunos, provocando uma reflexão crítica, no qual os alunos possam elaborar e transformar as idéias, sentimentos, atitudes, valores. Diante disso não pode ignorar a tecnologia, mais considera como um conteúdo escolar necessário na aprendizagem.
No terceiro e último capítulo o autor destaca que por vivermos em uma sociedade em constante transformação, as mudanças ocorrem graças ao conhecimento humano no qual se constrói em diferentes aspectos: científicos, tecnológicos, globalizado, novas formas de produção e principalmente na educação onde cada vez mais é exigido uma formação docente inicial e continuada de qualidade capaz de preparar o educador em um ser ativo responsável pelas diferentes formas de construção de conhecimentos no processo de ensino-aprendizagem, pois apesar de todas as transformações ainda há professores desqualificados, principalmente na rede pública de ensino que se limita  em teorias prontas e acabadas. Tanto a escola como o docente deve buscar uma olhar reflexivo. Ao invés de transmissão o educador deve construir sempre sua identidade docente, buscando promover aulas inovadoras no intuito de possibilitar a ambos a construção de pensamento crítico. Sendo assim eles se tornam atualizados, ampliam seus conhecimentos e não são excluídos, independente de suas diferenças da era da modernidade.
Diante do exposto a obra de Libâneo traz uma reflexão acerca do papel do professor mediante as novas exigências educacionais decorrentes da sociedade contemporânea. No decorrer da obra, o autor apresenta argumentos e idéias que mostram a necessidade de uma formação docente de qualidade, que possa atender as demandas da nova realidade social, a qual exige um profissional com competência para saber lidar com as novas tecnologias, com isso, é preciso que o novo profissional da educação, ou seja, o professor possua habilidades para lidar com os meios tecnológicos de comunicação e informação, articulando as mídias e multimídias as suas aulas.
A obra fornece ainda informações importantes sobre o papel do professor, mostrando que este deve cumprir a função de formar o cidadão para a vida e não apenas transmitir conhecimentos, pois o mesmo não perdeu seu papel com o surgimento dos novos meios tecnológicos, ao contrário, é nesse momento que o educador precisa ainda mais continuar sendo o agente fundamental do processo de ensino-aprendizagem.
O autor destaca ainda a importância de se trabalhar os valores éticos na escola, pois o avanço dos meios de comunicação e informação interfere no comportamento das pessoas, nesse sentido é necessário que o professor procure discutir os valores humanos como: o respeito, a solidariedade, e honestidade e outros.
Com sólidos conhecimentos acerca do campo educacional, o autor apresenta detalhadamente a questão das novas exigências educacionais, o novo papel da escola e dos professores, a qualidade do ensino e a formação inicial e continuada de professores, diante da integração dos meios de comunicação no ambiente escolar.
O autor dispõe de uma linguagem de fácil compreensão, tornando a leitura mais agradável e compreensiva para os leitores. As citações feitas pelo autor nos auxiliam para uma melhor compreensão da problemática e nos possibilitam analisar suas posições no decorrer da obra.
Libâneo faz uma crítica a formação teórica isolada da prática e ressalta a importância de se trabalhar a prática relacionada com a teoria nos cursos de formação de professores e aponta ainda sugestões de formas institucionais de articulação entre formação inicial e continuada, enfim, é um livro que apresenta os fundamentos necessários à compreensão da profissão docente no contexto atual.






*UFG, Universidade Federal de Goiás 
           



Obrigado pela visita, volte sempre.

Postagens mais visitadas deste blog

Carta de intenção Especialização: MODELOS DE CARTAS DE INTENÇÕES

A carta de intenção deve ser endereçada a coordenação do curso de especialização de interesse do candidato enfatizando os seguintes pontos: 

1) Identificação do candidato: Nome e formação universitária. 
2) Breve introdução sobre conhecimentos relacionados ao curso. 
3) Experiência acadêmica ou profissional na área de abrangência do curso, se houver. 
4) Interesse pessoal do candidato na área. 
5) Possibilidades de aproveitamento do curso em sua atuação profissional. 
6) Expectativas em relação ao curso. 

Obs.: A carta deve ser desenvolvida em no máximo 30 linhas. 

Estas regras eu não acredito que tenham que ser seguidas a risca. Vai do bom senso. 
O candidato deverá elaborar um documento, tendo no máximo duas laudas, escrito em Arial (tamanho 12) e espaço 1,5 entre as linhas >> 
A Carta de Intenção deverá conter as seguintes informações: 
1-Os motivos de ordem profissional e intelectual que o motivaram a candidatar-se, e qual a sua perspectiva com relação ao curso. 
2-Experiência acadêmica…

Você sabe, o que é Apostilamento de diploma. (CNS/CES).

Gostaria de falar com os estudantes de pedagogia como eu, que existe o apostilamento de diplomas. Uma vez na aula de legislação educacional, nosso professor falou sobre o apostilamento de diplomas. Mas o que vem a ser este ato.
Apostilamento de diplomas
É o registro feito no diploma quando o aluno apresenta conclusão de estudos adicionais.
O apostilamento de estudos adicionais de cursos concluídos antes da Lei Federal n.º 7044/82, deve ser feito pela Secretaria de Estado de Educação.
O apostilamento de estudos adicionais em diplomas de cursos concluídos depois da Lei Federal n.º 7044/82, deve ser feito pela escola que ofereceu o curso.
Documentos necessários: Diploma, histórico escolar.
Endereços das Superintendências

Apostilamento de Diploma Pedagogia
Vamos dar um ex.: Você que cursou bacharelado em pedagogia, pela nova lei de diretrizes, se você passar em um concurso público para a vaga de professor não poderá assumir o cargo. Gostaria de contar um caso verídico que aconteceu comigo.
Eu part…

Planos de Aula: Educação Física de 1ª à 4ª série do ensino fundamental.

Planos de Aula
CONTEXTUALIZAÇÃO Para que se compreenda o momento atual da Educação Física é necessário considerar suas origens no contexto brasileiro, abordando as principais influências que marcaram e caracterizaram esta disciplina e os rumos que se delinearam. No passado a Educação Física esteve estreitamente vinculada às instituições militares e à classe médica. Esses vínculos foram determinantes, tanto no que diz respeito à concepção da disciplina e suas finalidades quanto ao seu campo de atuação e à forma de ser ensinada. Por suas origens militares e por seu atrelamento quase servil aos mecanismos de manutenção vigente na história brasileira, tanto a prática como a reflexão teórica no campo da Educação Física, restringiram os conceitos de corpo e movimento (fundamentos de seu trabalho) aos seus aspectos fisiológicos e técnicos. Atualmente, a análise crítica e a busca de superação dessa concepção apontam a necessidade de que, além daque…