Pular para o conteúdo principal

Uma definição simplificada de Fatos sociais





Uma definição simplificada de Fatos sociais é: São maneiras coletivas, exteriores e gerais de agir, pensar e sentir, pertencentes a determinados grupos sociais. Para que existam fatos sociais, é preciso que o ser humano seja socializado. Socialização é a assimilação de hábitos característicos do seu grupo social, todo o processo através do qual um indivíduo se torna membro funcional de uma comunidade, assimilando a cultura que lhe é própria (sem a socialização, não saberíamos nem andar nem falar).
Exemplos de fatos sociais: falar um idioma, usar roupas, obedecer regras, leis normas, agir conforme os usos, costumes, etc. até mesmo atitudes consideradas fora dos padrões tais como o crime em geral (roubo, furto, assassinato, etc) são considerados como fatos sociais, já que os mesmos são reprovados e sujeitos a punição.
Durkheim define os fatos sociais, atribuindo-lhes três características:
 1 – COERCITIVIDADE: A coerção social é a força que os fatos exercem sobre os indivíduos, obrigando-os a conformarem-se às regras impostas pela sociedade em que vivem. Tal força manifesta-se quando o indivíduo usa um determinado idioma, participa de determinado tipo de formação familiar ou religiosa, quando está subordinado a determinado código de leis, etc. A coerção é constatada pelas sanções (punições) que serão impostas ao indivíduo, caso ele venha a se rebelar. Essas sanções, em princípio, são espontâneas, para desvios leves, provenientes de uma conduta não adaptada à estrutura do grupo ou da sociedade à qual o indivíduo pertence (ex: desobedecer aos pais). Desvios considerados graves sofrem coerção através da punição (peso das leis) ex: cometer um crime e pagar a pena do mesmo.
"Na nossa cultura, o uso de vestimentas é algo que vem sendo transmitido de gerações para gerações, fazendo com que o indivíduo tenha essa prática naturalmente. Aquele que por alguma razão não o fizer, estará sujeito a ser excluído ou discriminado dentro do seu grupo, por não enquadrar-se aos padrões que a própria sociedade determinou."
- Exemplos de instituições coercitivas: Família, Escola, Religião, Forças Armadas, Empresa (pública ou privada), etc.
A coercitividade, geralmente, é considerada ruim para quem a sofre, mas é uma das ações humanas mais importantes para o progresso da humanidade: sem ela, a maioria da população seria analfabeta, ignorante, violenta, etc. Sem ela, os filhos não respeitariam os pais, nem os pais educariam os filhos, a produtividade do trabalho seria baixíssima, a preguiça, a violência e a ignorância grassariam no meio do povo.
2 – EXTERIORIDADE: A segunda característica dos fatos sociais é que eles são exteriores e superiores a nós. Podemos exemplificar com as diversas leis, portarias, decretos, etc. além disso, temos a influência das religiões e a mídia em geral com sua forte influência sobre a vida da população (em geral alienada), tais como a música, a televisão, os filmes, as novelas, a propaganda, internet, etc.
3 – GENERALIDADE:  Os fatos sociais se manifestam através da natureza ou consciência coletiva ou um estado comum ao grupo, a exemplo, os sentimentos e a moral. "É social todo fato que é geral." A generalidade de um fato social, ou seja, sua unanimidade, é garantia de normalidade na medida em que representa o consenso social, a vontade coletiva, ou o acordo de um grupo a respeito de determinada questão. O normal é aquilo que é ao mesmo tempo obrigatório para o indivíduo e superior a ele, o que significa que a sociedade e a consciência coletiva são entidades morais, antes mesmo de ter uma existência tangível. Essa preponderância da sociedade sobre o indivíduo deve permitir a realização deste, desde que consiga integrar-se a essa estrutura. Para que reine certo consenso nessa sociedade, deve-se favorecer o desenvolvimento de uma solidariedade entre seus membros. Uma vez que a solidariedade varia segundo o grau de modernidade da sociedade, a norma moral acaba definindo a norma jurídica, pois é preciso definir, numa sociedade moderna, regras de cooperação e troca de serviços entre os que participam do trabalho coletivo.  A partir do normal, Durkheim analisa o patológico. As sociedades modernas são doentes porque sofrem de anomia. Estão submetidas a mudanças tão brutais que o conhecimento coletivo não estabelece um corpo de regulamentação adequado, seja pela ausência de vontade (querer algo), ou ainda, pela falta de maturidade de seus integrantes. Ante a imensa massa de homens que uma nação moderna representa, o indivíduo só pode sentir-se solitário: o suicídio procede de causas sociais e não individuais.
CONSCIÊNCIA COLETIVA (faz parte da generalidade): É o conjunto das crenças e dos sentimentos comuns à média dos membros de uma mesma sociedade" que forma um sistema determinado com vida própria". Ela está espalhada por toda a sociedade e revela o tipo da sociedade, que não seria apenas o produto das consciências individuais, mas algo diferente, que se imporia aos indivíduos e perduraria através das gerações. 
 É através da consciência coletiva que identificamos o que é considerado imoral, reprovável ou criminoso.Durkheim afirma que mesmo havendo a "consciência individual", nota-se no interior de qualquer grupo ou sociedade, formas padronizadas de conduta e pensamento. Essa constatação está na base do que Durkheim chamou de consciência coletiva, ou seja, é o "conjunto das crenças e dos sentimentos comuns à média dos membros de uma mesma sociedade" que "forma um sistema determinado com vida própria". 
A consciência coletiva é a forma moral vigente (moral que está em vigor ou em uso) na sociedade. Ela aparece como regras fortes e estabelecidas que delimitam o valor atribuído aos atos individuais. Ela define o que, numa sociedade, é considerado errado, imoral ou criminoso.
- A consciência coletiva é mais uniformizada nas sociedades simples ou primitivas. Quanto maior é a consciência coletiva, maior é a coesão entre os participantes da sociedade estudada, ou seja, há mais semelhança de usos, costumes, crenças, etc., ao mesmo tempo que é menor a individualidade. Um bom exemplo disto são as sociedades simples ou primitivas, como as tribos indígenas isoladas. Nestas sociedades (de solidariedade mecânica), as mudanças na consciência coletiva são bem mais lentas que nas sociedades onde há divisão do trabalho (sociedades complexas). 
AS MUDANÇAS NA CONSCIÊNCIA COLETIVA: A moral social evolui, provocando, lentamente, mudanças na consciência coletiva, que antes, considerava imoral, reprovável ou criminoso determinados comportamentos. Exemplos: o direito ao emprego para os PNE, os direitos de acessibilidade, o casamento homossexual, a marcha da maconha, o fim da perseguição aos cultos de matriz africana, etc.
-Nas sociedades onde se desenvolve uma divisão do trabalho (solidariedade orgânica), a consciência comum ocupa uma reduzida parcela, permitindo a ampliação do espaço para o crescimento da individualidade, porque os indivíduos são diferenciados, ou seja, não pensam de maneira coletiva, mas individualizada, embora não totalmente. Sendo assim, a reação às mudanças na consciência coletiva são menores; Quanto mais cosmopolita é a sociedade, mais aberta às mudanças ela tende a ser. 

FATOS SOCIAIS NORMAIS: A sociedade é semelhante a um corpo, onde os fatos sociais normais representam a saúde do mesmo. Nem tudo que se vê numa sociedade que pareça ser ruim é anormal, nem sempre a dor é ruim, pois ela faz parte da saúde de um corpo. O anormal é aquilo que sai da regra, é o diferente da normalidade, da norma. Exemplo: O crime é um fato social normal porque representa a importância dos valores sociais que repudiam essa conduta como ilegal e sujeita a penalidades.  
FATOS SOCIAIS ANORMAIS: É o estado doentio da sociedade: são anormais todos os fatos que põem em risco a harmonia, o consenso e a evolução da sociedade. Caso isso ocorra, a sociedade estará doente. Eles extrapolam os limites dos acontecimentos mais gerais de uma sociedade, não refletindo os valores e as condutas aceitas pela maior parte da população. É patológico o fato social que se encontra fora dos limites permitidos pela ordem social. Os fatos sociais anormais caracterizam o estado de anomia. Exemplos: A violência das torcidas organizadas, os comandos organizados do crime, o toque de recolher em alguns bairros, o  crescimento dos índices de violência a tal ponto que o Estado perde o controle da repressão (como o que ocorre em determinados locais dominados pelo crime organizado); ausência do Estado em comunidades carentes, onde impera a miséria, a falta de saneamento, habitação digna, educação, saúde, segurança, etc. 
SOLIDARIEDADE: É a situação em que um grupo social vive em comunhão de atitudes e de sentimentos, constituindo uma unidade sólida, capaz de resistir às forças exteriores e mesmo de tornar-se ainda mais firme em face de oposição vinda de fora. Divide-se em:
a) SOLIDARIEDADE MECÂNICA: prevalece nas sociedades "primitivas" ou arcaicas (agrupamentos humanos de tipo tribal formado por clãs); os indivíduos que as integram aceitam sem questionamento todos os valores, tradições e costumes da tribo; o grupo compartilha os mesmos valores e crenças, o que assegura a coesão social. É uma sociedade mais conservadora.
b) SOLIDARIEDADE ORGÂNICA: prevalece nas sociedades modernas complexas, onde há diferenças de valores, crenças, costumes, etc. Características: 
- interesses individuais distintos
- consciência individual acentuada
- divisão econômica do trabalho social desenvolvida e complexa (diversas profissões e atividades);
- sociedade mais cosmopolita e menos conservadora (há exceções).
- A Coesão social ocorre de duas maneiras: a) através da divisão do trabalho; b) através das regras de conduta (leis, normas, punições, etc), que estabelecem direitos e deveres
. A complexidade da sociedade orgânica pode gerar a Anomia. 
– ANOMIA (OU ANOMIA SOCIAL): É o estado de uma sociedade caracterizada pela desintegração das normas que regem a conduta dos homens e asseguram a ordem social; anarquia; ilegalidade.
- Causas da Anomia: A anomia é causada pelos altos níveis de desemprego (muita procura, pouca oferta), pela desesperança de muitos em relação ao futuro incerto, já que vivem sem dignidade (habitação, saúde, segurança precários ou inexistentes), ausência do Estado nas questões cruciais da população (saúde, educação, segurança, moradia, emprego, etc), a sensação de insegurança e de impunidade.

QUESTIONÁRIO
1) Explique a importância da socialização na vida do ser humano.
2) Os Fatos sociais são coercitivos? Explique.
3) A Coercitividade é importante para o progresso da sociedade? Explique. 
4) Explique porque os fatos sociais são exteriores e superiores.
5) Por que os fatos sociais são gerais?
6) Comente a respeito da Consciência Coletiva.
7)Por que ocorre mudança na Consciência Coletiva?
8) Essa mudança na consciência coletiva deve ou não ocorrer? comente.
9 )Qual (ou quais) são as causas dos fatos sociais anormais?
10) Comente (interprete o texto, não copie) a respeito da Anomia social.
11) O que é solidariedade mecânica?
12) O que é solidariedade orgânica? 


fonte;  http://fsetemac.blogspot.com.br/2012/05/fatos-sociais-apesar-de-auguste-comte.html

Obrigado pela visita, volte sempre.

Postagens mais visitadas deste blog

Carta de intenção Especialização: MODELOS DE CARTAS DE INTENÇÕES

A carta de intenção deve ser endereçada a coordenação do curso de especialização de interesse do candidato enfatizando os seguintes pontos: 

1) Identificação do candidato: Nome e formação universitária. 
2) Breve introdução sobre conhecimentos relacionados ao curso. 
3) Experiência acadêmica ou profissional na área de abrangência do curso, se houver. 
4) Interesse pessoal do candidato na área. 
5) Possibilidades de aproveitamento do curso em sua atuação profissional. 
6) Expectativas em relação ao curso. 

Obs.: A carta deve ser desenvolvida em no máximo 30 linhas. 

Estas regras eu não acredito que tenham que ser seguidas a risca. Vai do bom senso. 
O candidato deverá elaborar um documento, tendo no máximo duas laudas, escrito em Arial (tamanho 12) e espaço 1,5 entre as linhas >> 
A Carta de Intenção deverá conter as seguintes informações: 
1-Os motivos de ordem profissional e intelectual que o motivaram a candidatar-se, e qual a sua perspectiva com relação ao curso. 
2-Experiência acadêmica…

Planos de Aula: Educação Física de 1ª à 4ª série do ensino fundamental.

Planos de Aula
CONTEXTUALIZAÇÃO Para que se compreenda o momento atual da Educação Física é necessário considerar suas origens no contexto brasileiro, abordando as principais influências que marcaram e caracterizaram esta disciplina e os rumos que se delinearam. No passado a Educação Física esteve estreitamente vinculada às instituições militares e à classe médica. Esses vínculos foram determinantes, tanto no que diz respeito à concepção da disciplina e suas finalidades quanto ao seu campo de atuação e à forma de ser ensinada. Por suas origens militares e por seu atrelamento quase servil aos mecanismos de manutenção vigente na história brasileira, tanto a prática como a reflexão teórica no campo da Educação Física, restringiram os conceitos de corpo e movimento (fundamentos de seu trabalho) aos seus aspectos fisiológicos e técnicos. Atualmente, a análise crítica e a busca de superação dessa concepção apontam a necessidade de que, além daque…

Gêneros Orais e escritos na escola” DOLZ , J. e SCHNEUWLY, B. (resumo)

Gêneros e Progressão em Expressão Oral e Escrita. Elementos para reflexões sobre uma experiência suíça (francófona). In “Gêneros Orais e escritos na escola”DOLZ , J. e SCHNEUWLY, B.
Este livro reúne um conjunto de nove artigos de Schneuwly, Dolz e colaboradores, traduzidos e organizados por Rojo e Cordeiro, cuja análise centra-se no texto como “a base do ensino-aprendizagem de língua portuguesa.” (p.7).
1 - Apresentação: Gêneros Orais e Escritos como objetos de ensino: modo de pensar, modo de fazer. Foi na década de 1980, no Brasil, que estudos e práticas pedagógicas começaram a serem desenvolvidas tendo o texto como fundamento. De lá para cá, o texto, na maioria das vezes, vem sendo tomado como um objeto empírico através do qual se efetivam práticas de leitura, análise lingüística e produção de textos. Inserindo-se no rol de estudiosos do tema que criticam essa abordagem limitada do uso do texto, as organizadoras esclarecem que, a partir do século XXI, novas pesquisadas vêm sendo produz…