Pular para o conteúdo principal

Aulete Digital – Palavra do dia: A palavra é sua Tema da semana: Expressões do nosso dia a dia. Cair a ficha

PALAVRA DO DIA

Aulete Digital – Palavra do dia: A palavra é sua!
Tema da semana: Expressões do nosso dia a dia.
Cair a ficha
‘Cair a ficha’ é uma expressão antiga, que perdura até hoje. Antigamente, os telefones públicos eram acionados por fichas, espécie de moedas compradas em bancas de revistas, padarias e armazéns. Essas fichas eram distribuídas pelas companhias de telefonia da época. Usava-se a expressão ‘cair a ficha’ quando o telefone público reconhecia a ficha e permitia a ligação. Hoje em dia, ‘cair a ficha’ significa ‘se dar conta de algo, de repente’. É passar a compreender realmente um fato ou uma situação; perceber aquilo a que até então não se dera atenção.



>>Definição do iDicionário Aulete:

(fi. cha)
sf.
  1  Lud.  Peça com que se marcam pontos, em certos jogos: Apostou todas as fichas na roleta 
  2  Qualquer peça semelhante a ficha (1) de material variado (papel, plástico, metal etc.), us. para diversas coisas (ficha telefônica) 
  3  Peça que tem determinado valor de troca por dinheiro: Comprou uma ficha para o cafezinho 
  4  Pedaço de papel ou cartão que serve para anotações variadas: O que diz a ficha? 
  5  O que está anotado nele; REGISTRO. 
  6  Anotações pessoais que ficam registradas em repartições, bancos, consultórios etc.: Precisou atualizar sua ficha médica: Teve de fazer nova ficha bancária 
  7  P.ext. Gír.  Conjunto das informações de natureza pessoal sobre alguém: Pediu a ficha do rapaz para a amiga 
  8  Pequena peça redonda de metal que se colocava nos aparelhos de telefone público, o que permitia a utilização do mesmo por determinado tempo [Deriva desta acp. a loc. popular cair a ficha (ex.: caiu a ficha, sua ficha caiu), em virtude da lacuna de tempo entre a colocação da ficha no aparelho e a sua passagem para que a ligação se completasse.]
 [F.: Do fr. fiche. Hom./Par.: ficha (sf.), ficha (fl. de fichar), fixa [cs] (fem. de fixo), fixa [cs] (fl. de fixar).]
Cair a ficha.   
1
   Bras.   Pop.  De repente, dar-se conta (alguém) de algo; passar a compreender realmente um fato ou uma situação, perceber aquilo a que até então não dera atenção. 
Ficha antropométrica   
1
  Elenco de dados ou registros (nome, idade, altura, cor dos olhos, impressões digitais, etc.) que permite identificar uma pessoa; ficha de identidade. 
Ficha datiloscópica   
1
  Cartão onde figuram as impressões digitais de uma pessoa. 
Ficha de identidade   
1
  Ver Ficha antropométrica. 
Ficha técnica   
1
   Publ. Rád. Telv.  Relação das pessoas que colaboraram, cada uma em sua área, para a produção de um anúncio, de um filme, de um programa etc. 
Meter ficha   
1
   Bras.   Gír.  Atuar com energia, disposição, entusiasmo; mandar brasa. 
Na ficha   
1
   Bras.   Gír.  À vista; a dinheiro. 
Tacar ficha   
1
   Bras.   Gír.  Ver Meter ficha.  


___
Gostaria de sugerir uma palavra? Envie um e-mail para sugestao@palavradodia.com.br 
_____
A Palavra do Dia é um serviço oferecido gratuitamente aos usuários cadastrados do Aulete Digital.


A Palavra do Dia agora pode ser ouvida pelo site da Rádio Globo: www.radioglobo.com.br .
Palavra do Dia: uma parceria da Lexikon editora digital com a Rádio Globo.
_____
Siga o Aulete no Twitter: www.twitter.com/aulete



Obrigado pela visita, volte sempre. pegue a sua no TemplatesdaLua.com

Postagens mais visitadas deste blog

Carta de intenção Especialização: MODELOS DE CARTAS DE INTENÇÕES

A carta de intenção deve ser endereçada a coordenação do curso de especialização de interesse do candidato enfatizando os seguintes pontos: 

1) Identificação do candidato: Nome e formação universitária. 
2) Breve introdução sobre conhecimentos relacionados ao curso. 
3) Experiência acadêmica ou profissional na área de abrangência do curso, se houver. 
4) Interesse pessoal do candidato na área. 
5) Possibilidades de aproveitamento do curso em sua atuação profissional. 
6) Expectativas em relação ao curso. 

Obs.: A carta deve ser desenvolvida em no máximo 30 linhas. 

Estas regras eu não acredito que tenham que ser seguidas a risca. Vai do bom senso. 
O candidato deverá elaborar um documento, tendo no máximo duas laudas, escrito em Arial (tamanho 12) e espaço 1,5 entre as linhas >> 
A Carta de Intenção deverá conter as seguintes informações: 
1-Os motivos de ordem profissional e intelectual que o motivaram a candidatar-se, e qual a sua perspectiva com relação ao curso. 
2-Experiência acadêmica…

Planos de Aula: Educação Física de 1ª à 4ª série do ensino fundamental.

Planos de Aula
CONTEXTUALIZAÇÃO Para que se compreenda o momento atual da Educação Física é necessário considerar suas origens no contexto brasileiro, abordando as principais influências que marcaram e caracterizaram esta disciplina e os rumos que se delinearam. No passado a Educação Física esteve estreitamente vinculada às instituições militares e à classe médica. Esses vínculos foram determinantes, tanto no que diz respeito à concepção da disciplina e suas finalidades quanto ao seu campo de atuação e à forma de ser ensinada. Por suas origens militares e por seu atrelamento quase servil aos mecanismos de manutenção vigente na história brasileira, tanto a prática como a reflexão teórica no campo da Educação Física, restringiram os conceitos de corpo e movimento (fundamentos de seu trabalho) aos seus aspectos fisiológicos e técnicos. Atualmente, a análise crítica e a busca de superação dessa concepção apontam a necessidade de que, além daque…

Gêneros Orais e escritos na escola” DOLZ , J. e SCHNEUWLY, B. (resumo)

Gêneros e Progressão em Expressão Oral e Escrita. Elementos para reflexões sobre uma experiência suíça (francófona). In “Gêneros Orais e escritos na escola”DOLZ , J. e SCHNEUWLY, B.
Este livro reúne um conjunto de nove artigos de Schneuwly, Dolz e colaboradores, traduzidos e organizados por Rojo e Cordeiro, cuja análise centra-se no texto como “a base do ensino-aprendizagem de língua portuguesa.” (p.7).
1 - Apresentação: Gêneros Orais e Escritos como objetos de ensino: modo de pensar, modo de fazer. Foi na década de 1980, no Brasil, que estudos e práticas pedagógicas começaram a serem desenvolvidas tendo o texto como fundamento. De lá para cá, o texto, na maioria das vezes, vem sendo tomado como um objeto empírico através do qual se efetivam práticas de leitura, análise lingüística e produção de textos. Inserindo-se no rol de estudiosos do tema que criticam essa abordagem limitada do uso do texto, as organizadoras esclarecem que, a partir do século XXI, novas pesquisadas vêm sendo produz…