Pular para o conteúdo principal

O que é Etnocentrismo (Antropologia) Resenha


O que é Etnocentrismo (Antropologia)


Resenha por Iatala Mané (Guiné-Bissau) e Marcondes Lucena (Brasil)
Bibliografia: ROCHA, Everardo P. Guimarães. O que é etnocentrismo. 3ª ed. São Paulo, Brasiliense, 1986.


O Que é Etnocentrismo

            “Etnocentrismo é uma visão de mundo onde o nosso próprio grupo é tomado como centro de tudo e todos os outros são pensados e sentidos através dos nossos valores, nossos modelos, nossas definições do que é a existência” — assim define-se o etnocentrismo nas primeiras palavras do livro em questão (p. 5). Mas o que isso significa, na realidade?

            Bem, como sabemos, os seres humanos possuem um instinto nato que os habilita a identificar tudo quanto seja a eles estranho, ou diferente. Nós costumamos separar as coisas quase que geralmente em dois grupos distintos e bem contornados: o grupo do “eu” ou do “nós” e o grupo do “outro”. Essa separação ocorre, de acordo com o livro, devido a um “fenômeno onde se misturam tanto elementos intelectuais e racionais quanto elementos emocionais e afetivos”. (p. 5). E ainda afirma que os elementos intelectuais incluem uma dificuldade de se pensar a diferença, já os elementos emocionais se tratam de sentimentos como estranheza, medo, hostilidade etc.

            No plano histórico, o livro aborda o surgimento da visão antropológica do relativismo ou da relativização. Traça-se uma linha contextual, narrando os limiares das visões antropológicas que antecederam a visão de relativização. (pp. 26, 27) Inicia-se com o surgimento das teorias evolucionistas tal como uma tentativa de explicação racional para as diferenças entre as culturas. O evolucionismo é uma visão de mundo etnocêntrica por visualizar as demais culturas meramente como estágios de evolução correspondentes a estágios anteriores ao nosso. No entanto, as teorias evolucionistas são mais avançadas do que as visões etnocêntricas anteriores, segundo o livro, por tratar as demais culturas como “humanas”, embora “atrasadas” ou “menos evoluídas”. (p. 37) Os principais contribuintes dessa corrente foram James Frazer, Edward Tylor e Lewis Morgan.

            O evolucionismo acabou por contribuir para a relativização futura por tratar o diferente como humano, o que se trata de um paradoxo. E isso se deu, na realidade, pela dificuldade teórica dos evolucionistas em determinar um referencial seguro para se medir a “evolução” cultural. Além disso, o trabalho de campo ou pesquisa de campo deu ímpeto a novas análises antropológicas, visto que os cientistas que empregavam tal método podiam agora conviver diretamente com as culturas estudadas em questão. O antropólogo Bronislaw Malinowski foi um dos principais fundadores dessa forma de análise. Mas, antes dele, surgiram algumas escolas ou “doutrinas” antropológicas “intermediárias”, entre elas: os estudos realizados por Franz Boas (pp. 40-45), a escola personalidade e cultura (p. 55), o reducionismo (p. 56), os estudos de Julien Steward (p. 59), entre outros.

            O livro apresenta os estudos de Durkheim, Malinowski e Radcliff-Brown como importantes para o entendimento aprofundado da Antropologia, principalmente de sua linha relativista. (p. 63) Após abordar algumas partes importantes dos estudos acerca de tais pensadores, a obra finaliza abordando estudos sobre Claude Lévi-Strauss, fundador da teoria estruturalista. E afirma-se que o “etnocentrismo é exorcizado”  quando “a ida ao ‘outro’ se faz alternativa para o ‘eu’” (p. 109).

            A obra O Que é Etnocentrismo é muito importante para a nossa realidade mundial. Não somente como ferramenta teórica, mas também como útil para a realização de práticas políticas, reais. O conceito de superioridade ou inferioridade entre culturas deve ficar obsoleto ao se verificar todas as culturas numa perspectiva horizontal ao invés de uma esquematização vertical, onde o fator tempo e história são descontextualizados. Isso é muito importante visto que nem todas as culturas possuem uma concepção de tempo e história homogênea, se é que possuem tal concepção. Embora todos os povos ou etnias estejam sempre na mesma linha do tempo, elas não se inter-relacionam numa perspectiva de progressão onde um estágio é correspondente a outro estágio de outra cultura num fator tempo diferenciado. O processo de complexização das culturas é único entre elas mesmas, por isso deve ser relativizado.


Obrigado pela visita, volte sempre.

Postagens mais visitadas deste blog

Carta de intenção Especialização: MODELOS DE CARTAS DE INTENÇÕES

A carta de intenção deve ser endereçada a coordenação do curso de especialização de interesse do candidato enfatizando os seguintes pontos: 

1) Identificação do candidato: Nome e formação universitária. 
2) Breve introdução sobre conhecimentos relacionados ao curso. 
3) Experiência acadêmica ou profissional na área de abrangência do curso, se houver. 
4) Interesse pessoal do candidato na área. 
5) Possibilidades de aproveitamento do curso em sua atuação profissional. 
6) Expectativas em relação ao curso. 

Obs.: A carta deve ser desenvolvida em no máximo 30 linhas. 

Estas regras eu não acredito que tenham que ser seguidas a risca. Vai do bom senso. 
O candidato deverá elaborar um documento, tendo no máximo duas laudas, escrito em Arial (tamanho 12) e espaço 1,5 entre as linhas >> 
A Carta de Intenção deverá conter as seguintes informações: 
1-Os motivos de ordem profissional e intelectual que o motivaram a candidatar-se, e qual a sua perspectiva com relação ao curso. 
2-Experiência acadêmica…

Você sabe, o que é Apostilamento de diploma. (CNS/CES).

Gostaria de falar com os estudantes de pedagogia como eu, que existe o apostilamento de diplomas. Uma vez na aula de legislação educacional, nosso professor falou sobre o apostilamento de diplomas. Mas o que vem a ser este ato.
Apostilamento de diplomas
É o registro feito no diploma quando o aluno apresenta conclusão de estudos adicionais.
O apostilamento de estudos adicionais de cursos concluídos antes da Lei Federal n.º 7044/82, deve ser feito pela Secretaria de Estado de Educação.
O apostilamento de estudos adicionais em diplomas de cursos concluídos depois da Lei Federal n.º 7044/82, deve ser feito pela escola que ofereceu o curso.
Documentos necessários: Diploma, histórico escolar.
Endereços das Superintendências

Apostilamento de Diploma Pedagogia
Vamos dar um ex.: Você que cursou bacharelado em pedagogia, pela nova lei de diretrizes, se você passar em um concurso público para a vaga de professor não poderá assumir o cargo. Gostaria de contar um caso verídico que aconteceu comigo.
Eu part…

Planos de Aula: Educação Física de 1ª à 4ª série do ensino fundamental.

Planos de Aula
CONTEXTUALIZAÇÃO Para que se compreenda o momento atual da Educação Física é necessário considerar suas origens no contexto brasileiro, abordando as principais influências que marcaram e caracterizaram esta disciplina e os rumos que se delinearam. No passado a Educação Física esteve estreitamente vinculada às instituições militares e à classe médica. Esses vínculos foram determinantes, tanto no que diz respeito à concepção da disciplina e suas finalidades quanto ao seu campo de atuação e à forma de ser ensinada. Por suas origens militares e por seu atrelamento quase servil aos mecanismos de manutenção vigente na história brasileira, tanto a prática como a reflexão teórica no campo da Educação Física, restringiram os conceitos de corpo e movimento (fundamentos de seu trabalho) aos seus aspectos fisiológicos e técnicos. Atualmente, a análise crítica e a busca de superação dessa concepção apontam a necessidade de que, além daque…