Pular para o conteúdo principal

Blog do João Maria andarilho utópico: O que é Axiologia?



Blog do João Maria andarilho utópico: O que é Axiologia?





FILOSOFIA IV UNIDADE
AXIOLOGIA -
FILOSOFIA DOS VALORES
O que é melhor: vingança ou justiça? Ódio ou perdão?
É melhor ser pobre honesto ou rico ladrão? É Melhor ser autêntico ou falso? Como escolher minha profissão? Pelo status e dinheiro (mesmo sem ser o que gostaria) ou devo seguir aquilo que sempre gostei, mesmo que ganhe pouco?
Viver é estar sempre fazendo algo, é estar escolhendo dentre as inúmeras possibilidades, qual caminho seguir. Estas escolhas pautam-se nos valores que nós identificamos como melhores para a nossa vida.  
O Que É Valor? do grego axio "valor" + logia "estudo, tratado“.
Há várias definições para os valores:
- Valor é tudo aquilo que acreditamos ser importante para nós (isso varia de pessoa para pessoa)
- Valor é uma qualidade que concedemos aos objetos, às ações ou às pessoas, seja ela positiva ou negativa.
-Valor é o que me agrada e o que me desagrada.
-Valor também pode ser aquilo que não tenho e que desejo.
IMPORTÂNCIA DOS VALORES:
Representam coisas em direção das quais nos aproximamos ou afastamos. São as coisas, os IMPULSOS pelas quais desejamos despender esforços e recursos.
É aquilo que nos motiva. Fornecem critérios para avaliarmos nossas ações como boas ou ruins. Dirigem nossos propósitos na vida.
O valor é o princípio norteador das escolhas humanas (os fins), o desejável, o preferível.
O valor é o guia, a norma das escolhas, por isso carece da consciência e da liberdade do ser humano.
Tipos de valores: sensíveis, econômicos, éticos/morais, espirituais, sagrados, políticos
VALORES SENSÍVEIS: Os valores do agradável e do prazer, hedônicos. Abrangem não apenas as sensações de prazer e satisfação, como tudo aquilo que é apto a provocá-las (paixão, sexo, comida, bebida, etc.). exemplo: o hedonismo do alcoólatra, do fumante, do torcedor fanático por futebol, etc.
VALORES ECONÔMICOS: Referem-se aos valores materiais e bens de consumo: dinheiro, habitação, carro, terreno, etc. Na sociedade capitalista, estes são os valores mais levados em conta, os que dominam o cenário mundial. São de extrema importância, pois necessitamos dele para a nossa sobrevivência, mas o problema está na supervalorização do mesmo sobre os demais, levando muita gente a abandonar princípios éticos ou sagrados, trocando-os pelos econômicos.
VALORES ÉTICOS/MORAIS: a) Referem-se às normas ou critérios de conduta que afetam todas as áreas da nossa vida. Exemplos: Solidariedade, Honestidade, Verdade, Lealdade, Bondade, Perdão.
VALORES ESPIRITUAIS:
Caracterizam-se pela sua imaterialidade e durabilidade: Inteligência, Conhecimento, Sabedoria, Razão, etc.
VALORES SAGRADOS/TEOLÓGICOS: Referem-se a nossa relação com o que consideramos sagrado, as divindades, a transcendência, a religiosidade
VALORES POLÍTICOS: nossa relação com o próximo e a  sociedade: exemplos: justiça, igualdade respeito,  liberdade,  direitos humanos, responsabilidade, etc... 
Como classificamos esses valores em nossa vida?
De acordo com os que consideramos mais e menos importantes, ou seja, varia de pessoa para pessoa.

JUÍZO DE FATO E JUÍZO DE VALOR:
Se dissermos: “Está chovendo”, estaremos enunciando um acontecimento constatado por nós e o juízo proferido é um juízo de fato.
Se, porém, falarmos: “A chuva é boa para as plantas” ou “A chuva é bela”, estaremos interpretando e avaliando o acontecimento, ou seja, é um juízo de valor.
Qual é a diferença entre os dois tipos de juízos? A diferença é entre a Natureza  (EX: CHUVA) e a Cultura (A CHUVA É BOA PARA A AGRICULTURA).
JUÍZOS DE FATO: Juízos de fato são aqueles que dizem o que as coisas são, como são e por que são.
JUÍZOS DE VALOR: Juízos de valor avaliam coisas, pessoas, ações, experiências, acontecimentos, sentimentos, estados de espírito, intenções e decisões como bons ou maus, desejáveis ou indesejáveis.

A DISTORÇÃO  DOS VALORES:
Nossos valores não são baseados apenas na razão, mas também nas emoções, no fanatismo, alienação, na falta de esclarecimento e informação (essenciais para a tomada de decisão mais correta), ou seja, poderão estar distorcidos, nos levando ao engano e aos prejuízos ao longo da vida. Exemplo: alguém que foi criado numa cultura machista e reproduz seu comportamento contra sua esposa. Alguém que é fanático por futebol chegando ao ponto de usar (ou sofrer) violência pelo seu time (ou até vir a ser preso ou morrer).  
CARACTERÍSTICAS GERAIS DOS VALORES: Polaridade,  Hierarquização, Historicidade, Perenidade, Absolutividade/relatividade.
POLARIDADE: Há sempre um polo positivo e um polo negativo (bem/mal; belo/feio; sagrado/profano), etc.
1-(POLARIDADE) VALORES ÚTEIS: CARO X BARATO, CAPAZ X INCAPAZ, ABUNDANTE X ESCASSO, ADEQUADO X INADEQUADO, CONVENIENTE X INCOVENIENTE.
2 -(POLARIDADE) VALORES VITAIS: FORTE X FRACO, SAUDÁVEL X DOENTIO, ENÉRGICO X INERTE.
3-(POLARIDADE) VALORES LÓGICOS: VERDADE X FALSIDADE, CONHECIMENTO X DESCONHECIMENTO, CERTO X ERRADO, EVIDENTE X IMPROVÁVEL.
4 -(POLARIDADE) VALORES ESTÉTICOS: BELO X FEIO, ELEGANTE X DESELEGANTE, HARMONIOSO X DESARMONIOSO, SUBLIME X RIDÍCULO.
5-(POLARIDADE) VALORES ÉTICOS/MORAIS: BOM X MAU, JUSTO X INJUSTO, LEAL X DESLEAL, PIEDOSO X IMPIEDOSO.
6-(POLARIDADE) VALORES RELIGIOSOS/SAGRADOS: SANTO X PROFANO, DIVINO X DIABÓLICO, TERRENO, ESPIRITUAL X CARNAL, MILAGROSO X MECÂNICO
HIERARQUIA DOS VALORES: Ordenam-se de acordo com o grau da sua importância que damos aos mesmos, ou seja é pessoal.  
HISTORICIDADE DOS VALORES: caráter temporal e relativo de alguns valores; padrões valorativos próprios de uma época. No passado, por exemplo, a poluição era vista como sinal de progresso, a terrível escravidão era valorizada, assim como o desmatamento, etc. O casamento duradouro era valorizado, mesmo que o casal vivesse uma relação apenas de fachada, pois a mulher desquitada era desvalorizada e mal vista pela sociedade hipócrita e machista.
PERENIDADE DOS VALORES: caráter intemporal de alguns valores; valores que não sofrem alterações nem mudam ao longo da história. Exemplo: a saúde, a felicidade, a verdade, a inteligência, a confiança, a qualidade, a ética, as normas, o trabalho, etc.
ABSOLUTIVIDADE/RELATIVIDADE: Os valores estão sujeitos a dependência histórica e cultural dos povos. Exemplo: a mulher muçulmana em geral veste-se  cobrindo todo o corpo e a cabeça, enquanto a mulher ocidental, mesmo religiosa, usa roupas bem mais decotadas (há exceções).
COMO ADQUIRIMOS OS NOSSOS VALORES? Eles são inconscientemente adquiridos através da família, escola, religião, amigos, mídia, sociedade, etc.
AS PESSOAS USAM A AXIOLOGIA PARA ESCOLHER SUA PROFISSÃO? Em geral, sim: escolhemos uma profissão baseados em valores, nossos ou os de mercado. Nem sempre é fácil escolher uma profissão: alguns escolhem baseados no status da mesma. Exemplo: alguém pode escolher ser médico por ostentação ou dinheiro. Outros “escolhem” por pressão da família para ser engenheiro, advogado, médico, etc, mesmo que não seja a ideal.   
Outros escolhem a profissão baseando-se na sua vocação. É importante saber suas vocações. É claro que com trabalho árduo e dedicação podemos ser bem sucedidos, mas possuímos vocações distintas que podem ajudar na escolha da carreira. Procure saber quais são suas vocações.

O QUE É VOCAÇÃO? Ação ou efeito de chamar, de invocar, de denominar(-se).
- Tendência (s) ou inclinação (s) natural ou simpatia  que nos direciona para uma atividade, função ou profissão. Exemplo: quem tem facilidade com cálculos já tem um indicativo de profissão na área de exatas, assim como quem tem facilidade na área de humanas, letras, artes, biologia, etc.
Mesmo com a vocação, há o problema da dúvida e da indecisão. Quem não sabe pra onde quer ir não chega a lugar nenhum. Uma dica é escrever os assuntos (as matérias, os temas, as atividades) que mais te motivam e ver as carreiras  que mais se relacionam com os mesmos.
CONFLITO DE VALORES: Os valores podem se interpor no caminho das mudanças que desejamos realizar.
EX: casamento ou carreira profissional, ser médico ou advogado, abandonar um bom emprego para abrir uma empresa, etc.
Se há dois valores em conflito,  isto pode gerar uma crise, através da indecisão, incerteza, decisão precipitada / adiada, frustração por não saber se tomou a decisão correta,  arrependimento, etc.

QUESTIONÁRIO:
1- Coloque numa escala de importância (do maior para o menor) os seguintes valores: sensíveis, econômicos, éticos/morais, espirituais, sagrados e políticos. Justifique sua resposta.


2- As questões emocionais, a falta de informação e o fanatismo podem nos enganar em relação a escolha de nossos valores?


3 – Os valores são absolutos ou podem ser relativos? Comente.


4 – Há valores que são perenes? Comente.


5 – Os valores políticos devem estar ligados aos valores éticos? Comente.


6 – como escolher uma profissão usando a axiologia?

7 – Classifique as afirmações como juízo de fato ou de valor:
a-O hidrogênio é um elemento químico (                              );
b-O revólver é uma arma (                              );

c- A pena de morte é injusta (                            );

d – O réu foi condenado (                            );

e – o réu foi injustamente condenado (                            );

f – o réu mereceu ser condenado (                            );

g – você deveria ter pagado a dívida (                            );

h – você não pagou a dívida (                            );

Site
http://fsetemac.blogspot.com.br/

Obrigado pela visita, volte sempre.pegue a sua no TemplatesdaLua.com

Postagens mais visitadas deste blog

Carta de intenção Especialização: MODELOS DE CARTAS DE INTENÇÕES

A carta de intenção deve ser endereçada a coordenação do curso de especialização de interesse do candidato enfatizando os seguintes pontos: 

1) Identificação do candidato: Nome e formação universitária. 
2) Breve introdução sobre conhecimentos relacionados ao curso. 
3) Experiência acadêmica ou profissional na área de abrangência do curso, se houver. 
4) Interesse pessoal do candidato na área. 
5) Possibilidades de aproveitamento do curso em sua atuação profissional. 
6) Expectativas em relação ao curso. 

Obs.: A carta deve ser desenvolvida em no máximo 30 linhas. 

Estas regras eu não acredito que tenham que ser seguidas a risca. Vai do bom senso. 
O candidato deverá elaborar um documento, tendo no máximo duas laudas, escrito em Arial (tamanho 12) e espaço 1,5 entre as linhas >> 
A Carta de Intenção deverá conter as seguintes informações: 
1-Os motivos de ordem profissional e intelectual que o motivaram a candidatar-se, e qual a sua perspectiva com relação ao curso. 
2-Experiência acadêmica…

Planos de Aula: Educação Física de 1ª à 4ª série do ensino fundamental.

Planos de Aula
CONTEXTUALIZAÇÃO Para que se compreenda o momento atual da Educação Física é necessário considerar suas origens no contexto brasileiro, abordando as principais influências que marcaram e caracterizaram esta disciplina e os rumos que se delinearam. No passado a Educação Física esteve estreitamente vinculada às instituições militares e à classe médica. Esses vínculos foram determinantes, tanto no que diz respeito à concepção da disciplina e suas finalidades quanto ao seu campo de atuação e à forma de ser ensinada. Por suas origens militares e por seu atrelamento quase servil aos mecanismos de manutenção vigente na história brasileira, tanto a prática como a reflexão teórica no campo da Educação Física, restringiram os conceitos de corpo e movimento (fundamentos de seu trabalho) aos seus aspectos fisiológicos e técnicos. Atualmente, a análise crítica e a busca de superação dessa concepção apontam a necessidade de que, além daque…

Gêneros Orais e escritos na escola” DOLZ , J. e SCHNEUWLY, B. (resumo)

Gêneros e Progressão em Expressão Oral e Escrita. Elementos para reflexões sobre uma experiência suíça (francófona). In “Gêneros Orais e escritos na escola”DOLZ , J. e SCHNEUWLY, B.
Este livro reúne um conjunto de nove artigos de Schneuwly, Dolz e colaboradores, traduzidos e organizados por Rojo e Cordeiro, cuja análise centra-se no texto como “a base do ensino-aprendizagem de língua portuguesa.” (p.7).
1 - Apresentação: Gêneros Orais e Escritos como objetos de ensino: modo de pensar, modo de fazer. Foi na década de 1980, no Brasil, que estudos e práticas pedagógicas começaram a serem desenvolvidas tendo o texto como fundamento. De lá para cá, o texto, na maioria das vezes, vem sendo tomado como um objeto empírico através do qual se efetivam práticas de leitura, análise lingüística e produção de textos. Inserindo-se no rol de estudiosos do tema que criticam essa abordagem limitada do uso do texto, as organizadoras esclarecem que, a partir do século XXI, novas pesquisadas vêm sendo produz…