ABAIXO OS SEGUIDORES DESTE BLOG OBRIGADO POR ACOMPANHAR NOSSO BLOG.

Seguidores

quarta-feira, 23 de julho de 2008

PLANO DE AULA. Modelo de fichas de Planos de Aulas. (Meus Artigos)


PLANO DE AULA


I - Identificação
U. E.: ________________________________________...
Aluno Estagiário : ________________________________________...
Série: _____ Período: _____ Disciplina: Língua Portuguesa______________________________
Nível de Ensino: Número de alunos: _______ Data: _______________


II – Habilidades e Conteúdo
Habilidades: ao final da aula o aluno será capaz de: ______________________________________
______________________________________...
______________________________________...
Conteúdo: ______________________________ ...
______________________________________...




III - Atividades de Ensino:



IV - Recursos:



V – Avaliação e/ou Fixação do Conteúdo:



VI - Cronograma:



VII – Bibliografia:

______________________________________...
______________________________________...
______________________________________...
______________________________________...
______________________________________...




Ass: _____________________________

Este modelo foi elaborado seguindo as orientações do curso de pedagogia , modulo 5.
Nas aulas de Organização do Trabalho Docente nos Anos Iniciais do Ensino Fundamental.
Com as professoras: Sandra dos Reis Rampazzo e Edilaine Vagula.

Alguns outros modelos de fichas de leitura e de lista de presença. E um artigo.



Fábrica de fotografia/Sambaphoto

Fábrica de fotografia/Sambaphoto

Mesmo para um professor experiente, é impossível entrar em classe sem antes planejar a aula. É por isso que os profissionais que entendem bastante de didática insistem na idéia de planejamento como algo que requer horário, discussão, esquematização e certa formalidade. Agindo assim, tem-se uma garantia de que as aulas vão ganhar qualidade e eficiência. "O professor fica mais seguro e logo percebe a diferença na aprendizagem e até na disciplina", afirma Cecília Mate Hanna, da Faculdade de Educação da Universidade de São Paulo.

Veja todos os planos de aula que estão on-line no site de NOVA ESCOLA, clicando aqui.

Tecnicamente, plano de aula é a previsão dos conteúdos e atividades de uma ou de várias aulas que compõem uma unidade de estudo. Ele trata também de assuntos aparentemente miúdos, como a apresentação da tarefa e o material que precisa estar à mão. "Esses detalhes fazem toda a diferença e garantem 90% do aprendizado dos alunos", diz Patrícia Diaz, coordenadora pedagógica do programa Escola que Vale, do Centro de Educação e Documentação para Ação Comunitária (Cedac), em São Paulo.

O plano de aula se articula com o planejamento - a definição do que vai ser ensinado num determinado período, de que modo isso ocorrerá e como será a avaliação. O planejamento, por sua vez, se baseia na proposta pedagógica, que determina a atuação da escola na comunidade: linha educacional, objetivos gerais etc. (leia reportagem sobre o tema na edição 181, de abril).

Portanto, o plano de aula se encontra na ponta de uma seqüência de trabalhos. Esse encadeamento torna possível uma prática coerente e homogênea, além de bem fundamentada.

Tema, objetivo e avaliação devem ser definidos

Antes de partir para o plano de aula, é preciso dividir em etapas o planejamento de um determinado período (bimestre ou quadrimestre, por exemplo). Com uma idéia do todo, fica mais fácil preparar o plano conforme o tempo disponível. Não há modelos certos ou errados. Os planos de aula variam segundo as prioridades do planejamento, os objetivos do professor e a resposta dos estudantes. Mesmo assim, é possível indicar os itens que provavelmente constarão de um plano de aula proveitoso.

Um dos primeiros tópicos da lista deve ser o próprio assunto a ser tratado. Logo em seguida vêm os objetivos da atividade e que conteúdos serão desenvolvidos para alcançá-los. As possíveis intervenções do professor (como perguntas a fazer), o material que será utilizado e o tempo previsto para cada etapa são outros itens básicos.

Finalmente, é preciso verificar a eficiência da atividade. A única forma de fazer isso é avaliar o aluno. O critério de avaliação também é flexível. "Avaliar apenas com base na expectativa definida lá no começo pode tornar o trabalho superficial", adverte Patrícia. Da avaliação dependem os ajustes a serem feitos no processo. Eles são fundamentais para que a aula dê certo. "Ela não pode ser muito fácil nem muito difícil, mas um desafio real para o aluno."

Planejar dá mais experiência para antecipar o que pode acontecer. Com base nisso, o professor se prepara para os possíveis caminhos que a atividade vai tomar. Não é desejável prever cada minuto da aula. Os planos vão se construindo a cada etapa, dependendo do que foi percebido na etapa anterior. Se o plano de aula não prevê tempo e espaço para os alunos se manifestarem, a possibilidade de indisciplina é grande - e de aprendizado problemático também. "O plano de aula dá abertura para lidar com o imprevisível sem perder o pé", diz Cecília Hanna. "É um fio condutor para onde sempre se volta."

Os alunos não são os únicos modificados pelo aprendizado. Reservando um tempo depois da aula para refletir sobre o que foi feito, você tem oportunidade de rever sua prática pedagógica. Se o trabalho for acompanhado por um orientador ou coordenador pedagógico, tem-se um dos melhores meios de formação em serviço. Portanto, o plano de aula é uma bússola para que você conduza da melhor forma seu dia-a-dia profissional.

Um plano de aula colocado em prática

Entre as atividades do programa Escola que Vale (parceria entre o Cedac, a Companhia Vale do Rio Doce e prefeituras municipais) está a formação docente. Jacymere Chaves Barbosa, professora da 1a série da Unidade Escolar Anjo da Guarda, em São Luís, participou do programa, que ensina, entre outras coisas, a criar um plano de aula.

Com as colegas da mesma série, ela fez um plano para um projeto sobre contos de fadas. O objetivo era levar os alunos a escolher histórias para serem recontadas a crianças de uma classe de Educação Infantil. Na primeira aula, a professora propôs a atividade e selecionou livros com os alunos. Veja, a seguir, o plano da segunda aula.

Objetivos das práticas de leitura: despertar interesse de ler e ouvir contos; promover a confiança dos estudantes como leitores; manipular os livros para criar expectativas; e coordenar informações de texto e de ilustrações.

Objetivos das práticas de escrita: listar títulos e personagens e relacionar novas palavras às já conhecidas.

Livros a utilizar: separar os que só contêm um conto dos que reúnem vários e os que exigem maior e menor habilidade de leitura.

Orientações didáticas e possíveis intervenções: no primeiro momento, os alunos lêem os títulos dos livros para identificar os que ainda não conhecem. A tarefa é feita com os estudantes sentados em roda, manipulando e trocando os livros colocados no centro. Depois, eles são organizados em grupos de três, para trocar impressões e brincar com os livros. Caso as crianças fiquem atentas demais às ilustrações, peça que elas leiam o índice e elabore algumas questões. No segundo momento, faça um ditado dos títulos dos contos.

A aula foi filmada e depois debatida com Jacymere e os demais professores da 1a série, que também aplicaram o plano. O grupo discutiu questões como: que recursos os alunos utilizaram para ler? Que intervenções ajudaram as crianças a avançar nos conhecimentos?

Jacymere fez uma autocrítica. Notou que poderia ter planejado melhor o uso do espaço da sala, que não foi muito funcional. Os professores perceberam ainda que não tinham pensado em adequar o desafio da atividade ao nível de alfabetização de cada aluno. As conclusões foram levadas em conta nos planos das aulas seguintes. "Passei a planejar as tarefas com base no que o aluno já sabe para poder avançar", diz Jacymere.

Quer saber mais?

UNIDADE ESCOLAR ANJO DA GUARDA, R. Guadalupe, Quadra 49A, s/n, 65085-000, São Luís, MA, tel. (98) 3242-1865

Bibliografia

A ORGANIZAÇÃO DO CURRÍCULO POR PROJETOS DE TRABALHO, Fernando Hernández e Montserrat Ventura, 200 págs., Ed. Artmed, tel. 0800-703-3444, 48 reais

UMA ESCOLA COM PROJETO PRÓPRIO, José Bautista Vallejo, 96 págs., Ed. DP&A, tel. (21) 2232-1768, 15 reais

Internet

No site http://www.escolaquevale.org.br/, você encontra projetos de formação em torno de planos de aula, entre outros temas.

http://revistaescola.abril.com.br/edicoes/0184/aberto/mt_84718.shtml

Obrigado por sua visita, volte sempre.


pegue a sua no <span class=TemplatesdaLua.com" border="0">
Postar um comentário

LinkWithin

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...